Portal de Angola
Informação ao minuto

“Escritor do mês na biblioteca Camões”

JOSÉ SARAMAGO - Único Prémio Nobel da Literatura em português (DR)

O CAMÕES/CENTRO CULTURAL PORTUGUÊS, no quadro do seu desígnio de promoção da leitura e de divulgação de autores de língua portuguesa, criou na sua BIBLIOTECA um Núcleo de Leitura, que revisita autores consagrados de língua portuguesa, através da leitura colectiva de extractos das respectivas obras e biografias. Este Núcleo de Leitura, com momentos interactivos, conta com a participação activa de jovens, sobretudo, estudantes universitários e pré-universitários, utentes da Biblioteca.

De acordo com uma nota enviada à redacção do Portal de Angola, em dois dias de cada mês, a obra e a biografia do autor escolhido são revisitadas e analisadas.

Na 15ª Edição/Abril de 2019 do “Escritor do Mês na Biblioteca Camões”, nos dias 8 (2ª feira) e 23 de Abril (3ª feira), a partir das 10H00, será revisitada a obra de JOSÉ SARAMAGO, escritor de múltiplos recursos e grande e versatilidade, que deixou uma vasta obra de romance, poesia, teatro, crónica, viagens, infantil e contos. Foi o primeiro escritor português e da lusofonia a conquistar o Prémio Nobel da Literatura em 1998. Até hoje, foi o único escritor de língua portuguesa a conquistar este galardão maior, a nível internacional.

JOSÉ SARAMAGO nasceu em 1922 no Ribatejo, no seio de uma família de camponeses. Em 1924, mudou-se para Lisboa, onde aprende a ler nas páginas do Diário de Notícias, que o pai levava para casa. Matriculou-se no Liceu Gil Vicente, mas, por falta de recursos, teve que se mudar para a Escola Industrial Afonso Domingues, onde frequentou o Curso de Serralharia Mecânica, durante cinco anos. Em 1940, escreveu a sua primeira quadra popular em homenagem a Ilda Reis, sua futura mulher. De 1941 a 1942 exerceu a profissão de serralheiro. Posteriormente, foi auxiliar administrativo. Em 1945 começa a escrever poesia e, em 1947, publica o seu primeiro romance, “Terra do Pecado”. Desde o final dos anos 40 até meados da década 50, escreveu numerosos contos. Fez traduções de mais de 60 títulos, até meados dos anos 80. Foi crítico literário na revista “Seara Nova” e foi Editor do Diário de Lisboa. Depois do 25 de Abril de 1974, desempenhou algumas funções em instituições e organismos ligados ao Governo.

A biografia de JOSÉ SARAMAGO está marcada por algumas grandes polémicas, como a da censura governamental à sua obra “Evangelho Segundo Jesus Cristo”. À semelhança de outros escritores de relevo, nunca se deixou disciplinar ferreamente a ideologias, regimes e partidos. A sua relação com o Partido Comunista Português nunca poderia ser uma ortodoxia acomodada ou uma subordinação anódina ao aparelho.

Deixou cerca de 20 romances publicados, 3 de poesia, 3 de contos, 5 peças de teatro, 3 diários e múltiplas crónicas.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »