Ensa
Portal de Angola
Informação ao minuto

Paul McCartney: “Eu não conhecia o lado negro de Michael Jackson”

Blitz

Paul McCartney e Michael Jackson (GETTY IMAGES)

Paul McCartney reagiu às acusações de duas alegadas vítimas de abusos sexuais de Michael Jackson, que vieram a público recentemente no documentário “Leaving Neverland”. Em entrevista a uma rádio chilena, o ex-Beatle disse: “eu não conhecia o lado negro dele. Agora é difícil pensar nas boas memórias que guardo dele sem pensar ‘oh Deus, havia outras coisas a acontecer'”.

O músico, que colaborou com Jackson em três canções (‘The Girl is Mine’ de 1982 e ‘Say Say Say’ e ‘The Man’ de 1983), diz que percebe por que razão há pessoas que já não querem ouvir a música do rei da pop. “É triste. Obviamente, o Michael era um cantor fantástico, um grande artista e um grande bailarino”, defende, “durante anos, adorámos isso. Ninguém conhecia o outro lado que é mostrado nesse filme. Torna-se difícil e eu percebo por que razão as pessoas dizem que já não querem ouvir a música dele. Quando o conheci, ele era um tipo muito simpático”.

“Percebo que as pessoas estejam muito desapontadas com ele e zangadas com o facto de ele ter um lado negro”, acrescenta ainda McCartney depois de dizer “para mim, é OK ficar com as memórias pessoais que tenho dele. O outro lado é o outro lado. Não o conheço”.

Na sequência das acusações de Wade Robson e James Safechuck em “Leaving Neverland”, Diana Ross e Barbra Streisand, amigas de Michael Jackson, saíram em sua defesa, com Streisand a apontar o dedo aos pais das crianças e Ross a dizer: “acredito e confio que o Michael era e é uma força magnífica e incrível, para mim e muitos outros”.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »