Ensa
Portal de Angola
Informação ao minuto

Palancas Negras jogam cartada decisiva

JOGADORES DA SELECÇÃO DE ANGOLA FESTEJAM GOLO CONTRA BOTSWANA NO 11 DE NOVEMBRO (FOTO: HENRI CELSO)

Sem dois dos seus principais jogadores, nomeadamente o capitão Mateus Galiano e Gelson Dala, a selecção nacional de futebol defronta nesta sexta-feira, em Francistown, a similar do Botswana, onde só a vitória interessa, em jogo da última jornada do grupo I, qualificativo ao Campeonato Africano da Nações (CAN2019), a realizar-se no Egipto de 21 de Junho a 19 de Julho.

Os dois avançados, com certeza, farão muita falta ao combinado nacional, que precisa vencer este desafio para carimbar o passe para a maior cimeira do futebol africano, já que tem na peugada o Burkina Faso.

Os Palancas Negras ocupam a segunda posição do grupo, com nove pontos, e defrontam um adversário já sem hipóteses de apuramento (último, com um ponto), enquanto os burkinabes, terceiros, com sete, recebem os mauritanianos, líderes e já apurados, com doze.

Os dois melhores marcadores dos pupilos de Srdan Vasiljevic nesta campanha (Mateus Galiano, com quatro golos, e Gelson Dala, com três) precisarão inspirar os seus substitutos, ainda que fora dos relvados, para que os intentos do triunfo sejam um facto.

O avançado do Boavista de Portugal, castigado por acumulações de amarelo, ainda viajou com o grupo, para de perto poder motivar os colegas e transmitir a sua vasta experiência, enquanto o atacante do Rio Ave recupera de uma lesão.

Por essas contrariedades, as despesas do ataque poderão estar sob responsabilidades de Wilson Eduardo, de quem os adeptos depositam muita confiança, por tudo que tem feito no seu clube, Sporting de Braga.

O atleta, que se estreia nos Palancas, vem fazendo uma temporada ao mais alto nível em Portugal, onde em 24 partidas marcou por oito ocasiões, sendo o segundo artilheiro da equipa, atrás de Dyego Sousa, com 14 tentos.

Além de Wilson Eduardo, o sector mais atacante conta igualmente com o experiente e regressado Igor Vetokele, do Charlton da Inglaterra, os melhores marcadores do Girabola Chico e Mabululu, com onze e nove golos, respectivamente, bem como dos médios Geraldo, Fredy e Djalma Campos, que podem muito bem servir para as encomendas.

A selecção nacional, que procura a sua oitava presença em campeonatos africanos, viajou quarta-feira para o palco da competição confiante na vitória e a consequente qualificação, mas para tal terão de se empenhar a fundo, para não ser surpreendido mesmo em terreno alheio.

Com efeito, Vasiljevic e pupilos têm consciência da espinhosa missão que lhes reserva este duelo com os tswaneses, que, apesar de já não terem condições de marcar presença no Egipto, vão procurar fazer jus à sua condição de anfitriões, para dificultar ao máximo a tarefa dos Palancas Negras.

E isso só se poderá consumar com atitude ousada e, acima de tudo, com determinação dos jogadores.

Efectivamente, a vitória é o melhor dos cenários que pode ocorrer, já que o Burkina Faso, apontado, a partida, como conjunto mais forte do grupo, vê hoje a sua sorte dependente de terceiros e, particularmente, daquilo que venha ser a prestação de Angola nesta derradeira jornada.

Um eventual deslize dos Palancas Negras frente às Zebras (designação oficial da selecção do Botswana) pode colocar os Cavalos do Burkina Faso na rota do Egipto, mas desde que vençam em Ouagadougou, sua casa, a já qualificada Mauritânia.

Dos 13 jogos já disputados entre si, Angola, que ocupa actualmente a 125ª posição no Ranking da FIFA, venceu seis, sendo o último no encontro da segunda jornada desta campanha (em Setembro de 2018), por 1-0, com golo de Gelson Dala. O Botswana (145º lugar no Ranking) triunfou em três ocasiões e registou-se ainda quatro empates.

Os Palancas Negras já estiveram no CAN da África do Sul (1996), Burkina Faso (1998), Egipto (2006), Ghana (2008), Angola (2010), Gabão e Guiné Equatorial (2012) e África do Sul (2013). Botswana participou apenas uma vez numa fase final, em 2012, co-organizado pelo Gabão e Guiné Equatorial.

Para este confronto, Vasiljevic levou os seguintes futebolistas:

Guarda-redes: Tony Cabaça (1º de Agosto), Landu (Interclube) e JB (Kabuscorp)

Defesas: Eddie Afonso, Wilson, (Petro de Luanda), Dany Massunguna, Paizo, Isaac (1º de Agosto), Bastos (Lazio de Itália) e Jonathan Buatu (Rio Ave)

Médios: Herenilson (Petro de Luanda), Show, Macaia (1º de Agosto), Manguxi, Stélvio Cruz (F91 Dudelange da Holanda), Geraldo (Al -Ahly do Egipto), Djalma Campos (Alanyaspor da Turquia) e Freddy (Antályasport da Turquia)

Avançados: Mabululu (1º de Agosto), Wilson Eduardo (Sporting de Braga), Igor Vetokele (Charlton Athletic da Inglaterra) e Chico (Bravos do Maquis).

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »