- Publicidade-
Rádio Calema
Inicio Mundo Oceania Nova Zelândia: polícia já identificou as 50 vítimas mortais

Nova Zelândia: polícia já identificou as 50 vítimas mortais

O país cumprirá dois minutos de silêncio pelas vítimas e irá ainda transmitir na televisão e rádio pública uma oração de apoio à comunidade muçulmana, esta sexta-feira.

De acordo com o Diário de Notícias que cita a Lusa, a polícia da Nova Zelândia anunciou esta quinta-feira que já identificou todas as 50 vítimas mortais do duplo ataque às mesquitas de Christchurch, na passada sexta-feira.

“Posso informar que, nos últimos minutos, o processo de identificação das 50 vítimas foi concluído e todas as famílias foram notificadas”, afirmou o comissário Mike Bush. “Este é um ponto de viragem neste processo”, disse.

O anúncio foi feito minutos depois de a primeira-ministra, Jacinda Ardern, ter anunciado a proibição da venda de todas as armas de assalto e semiautomáticas, em resposta ao ataque terrorista.

“A Nova Zelândia vai proibir todas as armas semiautomáticas de estilo militar. Vamos também proibir as armas de assalto”, declarou Ardern, acrescentando que a nova legislação vai entrar em vigor já no próximo mês. A primeira-ministra garantiu ainda que vão ser tomadas medidas para evitar uma corrida às armas antes da entrada em vigor da proibição de venda.

Na sexta-feira, uma semana após o ataque, o país cumpre dois minutos de silêncio pelas vítimas e, no mesmo dia, está prevista a transmissão, na rádio e televisão públicas, da chamada à oração, num gesto de apoio à comunidade muçulmana.

“Queremos mostrar o nosso apoio à comunidade muçulmana, no regresso às mesquitas, particularmente esta sexta-feira”, afirmou a primeira-ministra, em conferência de imprensa.

Brenton Tarrant, um australiano nacionalista branco de 28 anos, reivindicou a responsabilidade pelos ataques às mesquitas Al Noor e Linwood, na terceira maior cidade da Nova Zelândia.

Além de divulgar um manifesto anti-imigrantes de 74 páginas, Tarrant transmitiu em direto na Internet o momento do ataque.

- Publicidade -
- Publicidade -

Detido cidadão por uso ilegal de ambulância do INEMA

A Polícia Nacional no município de Mbanza Kongo, província do Zaire, deteve, esta segunda-feira, um cidadão acusado de exercer serviço de táxi com uma...
- Publicidade -

Agência da ONU recomenda directrizes de saúde para companhias aéreas

Uso de máscaras, controle de temperatura e desinfecção de aeronaves: a Organização Internacional de Aviação Civil (ICAO) publicou nesta segunda-feira (1) uma série de...

Cancro da mama: Português ajuda a descobrir fármaco que usa composto encontrado em vegetais

Bruno Simões e outros cientistas da Universidade de Manchester, no Reino Unido, descobriram que o medicamento SFX-01 pode ser encontrado em vegetais como brócolos. Há...

Técnicos do FMI aprovam proposta revisada da Argentina a credores

Uma revisão da proposta oficial argentina de renegociar dívidas no valor de 66 bilhões de dólares, que inclui melhorias nas condições de pagamento aos...

Notícias relacionadas

Detido cidadão por uso ilegal de ambulância do INEMA

A Polícia Nacional no município de Mbanza Kongo, província do Zaire, deteve, esta segunda-feira, um cidadão acusado de exercer serviço de táxi com uma...

Agência da ONU recomenda directrizes de saúde para companhias aéreas

Uso de máscaras, controle de temperatura e desinfecção de aeronaves: a Organização Internacional de Aviação Civil (ICAO) publicou nesta segunda-feira (1) uma série de...

Cancro da mama: Português ajuda a descobrir fármaco que usa composto encontrado em vegetais

Bruno Simões e outros cientistas da Universidade de Manchester, no Reino Unido, descobriram que o medicamento SFX-01 pode ser encontrado em vegetais como brócolos. Há...

Técnicos do FMI aprovam proposta revisada da Argentina a credores

Uma revisão da proposta oficial argentina de renegociar dívidas no valor de 66 bilhões de dólares, que inclui melhorias nas condições de pagamento aos...

Trump usa OMS, China e protestos para distrair EUA do seu fracasso contra COVID-19, dizem analistas

O presidente Donald Trump cortou os laços dos EUA com a Organização Mundial da Saúde (OMS) para distrair a atenção de sua base popular...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.