Portal de Angola
Informação ao minuto

Eleições na Guiné-Bissau: Presidente felicita PAIGC

Presidente José Mário Vaz fala à imprensa no dia das eleições. (DR)

José Mário Vaz felicitou esta sexta-feira os guineenses pela participação cívica nas legislativas de 10 de março e o Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde pelos “resultados obtidos”.

Em comunicado, José Mário Vaz salienta a “participação cívica dos guineenses” através do “exercício de cidadania demonstrado durante todo o processo eleitoral”.

O Presidente guineense felicita igualmente as forças de defesa e segurança pela “postura republicana” demonstrada durante todo o processo eleitoral, bem como todos os partidos políticos que participaram no escrutínio, com destaque para o PAIGC, Movimento para a Alternância Democrática (Madem-G15), Partido da Renovação Social, Assembleia do Povo Unido – Partido Democrático da Guiné-Bissau, União para a Mudança e Partido da Nova Democracia.

“Ao PAIGC, em particular, felicita pelos resultados obtidos”, lê-se no comunicado divulgado pela Dw África.

O chefe de Estado agradece também à Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental, Nações Unidas, União Europeia, União Africana, Comunidade dos Países de Língua Portuguesa e aos países amigos pelo apoio dado durante todo o processo eleitoral.

“Jomav” disponível para “estabilidade governativa”

“Este escrutínio foi um passo importante na afirmação cívica do povo guineense na defesa dos valores da democracia”, refere no comunicado, salientando que a Guiné-Bissau foi, mais uma vez, exemplo de eleições consideradas “justas, livres e transparentes”.

O Presidente guineense garante também “inteira disponibilidade pessoal e institucional para uma estabilidade governativa” e para “manter o clima de paz civil e estabilidade interna que muito custou a construir ao longo dos últimos cinco anos”.

Os resultados eleitorais indicam que o PAIGC alcançou 47 mandatos, o Madem-G15 27, o Partido da Renovação Social (PRS) 21, a Assembleia do Povo Unido – Partido Democrático da Guiné-Bissau (APU/PDGB) 5, a União para Mudança (UM) e o Partido da Nova Democracia (PND), um deputado, cada um.

O PAIGC já anunciou um acordo de incidência parlamentar para governar com a APU/PDGB, UM e PND, pelo que deverá garantir apoio da maioria dos deputados eleitos. O segundo e o terceiro partido, Madem e PRS respetivamente, celebraram igualmente um acordo parlamentar.

A Guiné-Bissau vive desde 2015 uma crise política, que teve início com a demissão de Domingos Simões Pereira, líder do PAIGC, do cargo de primeiro-ministro, depois de o partido ter vencido as eleições de 2014 com maioria. Desde então foram nomeados vários primeiros-ministros.

Domingos Simões Pereira deverá ser indicado como primeiro-ministro, mas agora apenas com o apoio de uma maioria relativa.

A Comissão Nacional de Eleições (CNE) anunciou que os resultados provisórios das legislativas, anunciados na quarta-feira, passaram esta sexta-feira a definitivos.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »