Portal de Angola
Informação ao minuto

Moçambique: Internet grátis ajuda estudantes de Pemba

Internet grátis ajuda estudantes de Pemba e anima praças públicas. (DR)

Internet grátis na cidade de Pemba, província moçambicana de Cabo Delgado, está a ter impacto positivo na vida dos estudantes. Autoridades dizem que o intuito é promover a inclusão digital.

Em Moçambique, escreve Angop, a instalação de internet grátis na praia do Wimbe, na cidade de Pemba, província moçambicana de Cabo Delgado, está a ter um impacto positivo na vida dos estudantes. Usuários dizem que o serviço lhes permite efetuar pesquisas para trabalhos académicos sem quaisquer custos.

De facto, os estudantes de Pemba não podiam estar mais satisfeitos: já não precisam usar cartões de telefonia móvel, nem gastar dinheiro na compra de crédito para ter internet grátis. Basta ter um smartphone, um tablet ou um computador para conectar-se à rede Wi-Fi na praia do Wimbe.

Trabalhos de escolha

Bacar Jussa é um dos estudantes de Pemba que utiliza a rede de internet grátis e diz que a internet o ajuda a fazer os trabalhos da escola e a “adquirir conhecimento sobre outros países”. “Agradeço poder fazer este meu trabalho, pois antigamente eu comprava crédito para usar internet”.

Podem estar ligados à Internet simultâneamente 200 utilizadores. E cada um tem um tempo de utilização de uma hora. Amade Amacame, outro estudante entrevistado pela DW África, elogia a iniciativa. “Esta internet facilita-nos muito com o uso dos telefones. Estamos aqui para pesquisar para nossos trabalhos da escola. Antigamente, comprava crédito para converter megas, mas agora não preciso disso, uso o Wi-Fi da praia”.

Praia do Wimbe

Além dos estudantes, a internet gratuita tem sido um atrativo para os visitantes da praia do Wimbe. Esta é uma das 15 “Praças Digitais” – uma iniciativa do Governo moçambicano que já instalou redes de internet gratuita em praças públicas de dez municípios do país. A cidade de Pemba, em Cabo Delgado, é uma das autarquias contempladas.

Edmundo Manhiça é o porta-voz do Instituto Nacional das Comunicações de Moçambique (INCM) e diz que “estas praças digitais tem como objetivo principal promover a inclusão digital, ninguém deve pensar que a internet é apenas para aqueles que têm, não!”, explicou.

“Desfrutemos de forma positiva, busquemos aquela informação que precisamos para a escola, para o nosso próprio desenvolvimento, informação que beneficie a nossa comunidade”, acrescentou o porta-voz. A democratização do uso da Internet é o principal objetivo do projeto “Praças Digitais”, que segundo os cálculos, proporciona o acesso a mais de 57 mil utilizadores por dia em cada praça.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »