Portal de Angola
Informação ao minuto

Comandante-geral pede desculpas à família da Zungueira morta no Rocha Pinto

O comandante-geral da Polícia Nacional, Paulo de Almeida, pediu desculpas à família de Juliana Cafrique, 28 anos, e à sociedade, vítima mortal de um disparo de arma de fogo, protagonizado por um agente da corporação, no final da tarde de terça-feira, no Rocha Pinto, em Luanda.

Paulo de Almeida, que falava em exclusivo ao Jornal de Angola, garantiu que o agente, que disparou contra a vendedora ambulante, está já detido e foi submetido a um processo disciplinar e criminal, que “poderá culminar com o seu afastamento da corporação, por má conduta”.

O responsável da Polícia Nacional admitiu que “o agente da corporação falhou durante a sua actuação” e nunca deveria utilizar a arma de fogo diante de uma cidadã indefesa. “Sempre aconselhamos os nossos efectivos, que em caso de os cidadãos que fazem a venda ambulante estiverem a prejudicar o trânsito e afectar a ordem pública, devem somente aconselhar para se retirarem dos locais, de forma pedagógica, evitando usar a arma de fogo”.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »