Portal de Angola
Informação ao minuto

Frente Institucional Militar denuncia oficiais cubanos na Venezuela

(DR)

A associação de oficiais reformados Frente Institucional Militar (FIM) denunciou na segunda-feira, em comunicado, a chegada de oficiais cubanos à Venezuela, escreve o Notícias ao Minuto que cita a Lusa.

“Alertamos o país e os seus organismos de segurança sobre a existência desta força estrangeira, em clara violação dos valores e princípios estabelecidos na Constituição nacional [da Venezuela]”, refere o comunicado.

No documento, divulgado em Caracas, a FIM chama a atenção dos membros ativos das Forças Armadas Venezuelanas para a situação e diz ter uma “acumulação de informação, indícios e evidências” sobre “a presença de um forte contingente de militares cubanos” no país.

Também alguns dos oficiais estrangeiros estão “organizados em unidades de combate, formados” e “armados, alguns deles com experiência em conflitos militares em outras regiões”, acrescenta

O documento explica ainda que “desde há anos se tem falado, na Venezuela, da ingerência do regime castro-comunista de Cuba em muitos âmbitos da vida política oficial, particularmente em ‘inteligência’ [serviços secretos] de Estado, em imigração e identificação e no controlo de situações de desordem pública”, estimados “em 20 mil”.

“É um facto notório, a participação de uma unidade de combate uniformizada, armada, com estandartes e distintivos do exército cubano, participando em desfiles, sem que tenham sido registadas as datas de chegada dos aviões nem os trâmites migratórios, para justificar a entrada e saída do país”, explica.

Segundo a FIM, há registos de um “destes cubanos invasores, nas proximidades da praça de Altamira [leste de Caracas], identificado com fotografias e vídeos, disparando a sua arma de fogo contra uma multidão que se manifestava contra o regime e que, apesar de causar algumas baixas [mortes] não foi submetido às instâncias penais correspondentes”.

“Temos ouvido declarações de vítimas de repressão e torturas, por participarem em marchas e protestos, que identificaram cubanos uniformizados como Guardas Nacionais [polícia militar] e de outros corpos policiais”, adianta

O documento alerta, igualmente, para “constantes viagens de generais das Forças Armadas revolucionárias cubanas” que têm sido fotografados no palácio presidencial de Miraflores, no Ministério da Defesa e noutras instalações do Estado, “cumprindo funções de assessoria políticoae militar ao regime”.

“Em razão de tais circunstâncias, exigimos ao Ministério da Defesa e aos órgãos ministeriais competentes que realizem as ações pertinentes para expulsar do território nacional os invasores cubanos em presença ilegal no nosso país”.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »