Portal de Angola
Informação ao minuto

Rui Rio compara Conselho de Ministros a ceia de Natal

Notícias ao Minuto/Lusa

Rui Rio (DR)

O presidente do PSD, Rui Rio, criticou na noite de sexta-feira o facto de haver vários membros do Governo com ligações familiares, comparando o atual Conselho de Ministros a uma ceia de Natal.

Intervindo durante um jantar com mulheres militantes e simpatizantes do PSD, em Oliveira de Azeméis, Rui Rio lembrou que em três anos e meio o Governo fez seis remodelações ministeriais, mudando dez ministros e 21 secretários de Estado.

“De cada vez que mudou, mais foi afunilando em torno da família socialista. Nunca houve um Governo em Portugal onde quando reúne o Conselho de Ministros parece a ceia de Natal: senta-se o marido e a mulher e, agora, também já se senta o pai e a filha”, notou.

O líder social-democrata referia-se ao facto de o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, ser casado com a ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, e de a nova ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, ser filha do ministro do Trabalho, Viera da Silva.

No seu discurso, Rui Rio defendeu ainda que o PSD é a única alternativa a um Governo que, segundo o mesmo, tem andando a “enganar” os portugueses, porque diz apenas “meias verdades”.

“Ouvimos o Governo dizer que tem tido uma excelente governação, porque criou mais emprego, e reduziram o défice público, mas falta dizer que são empregos de salários baixos e precários e a redução do défice foi feita à custa de cativações cegas e muito pouco prudentes”, explicou.

O presidente do PSD realçou ainda que nos últimos anos bateu-se o record da história de Portugal em termos de carga fiscal, adiantando que ao mesmo tempo, “nunca se degradou tanto os serviços públicos como agora”.

“Temos o país onde pagamos mais impostos e ao mesmo tempo temos pior serviço público”, vincou.

O líder do PSD considerou ainda que o PCP e Bloco “não têm a legitimidade para dizer mal, como têm dito, do Governo que eles próprios suportam”.

“Como é possível ouvirmos o PS, o Partido Comunista e o Bloco de Esquerda a dizerem mal de si próprio e da coligação que estão a suportar. Dá ideia que o Partido Comunista e o Bloco de Esquerda não têm nada a ver com aquilo que se passou. Têm tudo a ver, porque se eles não suportassem o Governo, este pura e simplesmente não existia”, afirmou.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »