Portal de Angola
Informação ao minuto

Juiz afirmou em tribunal que Deus lhe disse que arguida era inocente

(DR)

Um juiz norte-americano foi alvo de uma advertência depois de, em plena sessão no tribunal, ter referido ao júri que Deus lhe tinha dito que a arguida era inocente, logo após o júri ter considerado que Gloria Perez era culpada do crime de tráfico sexual.

Segundo o Folha de Maputo que cita o Newsweek, o juiz do Texas Jack Robinson insistiu que o júri continuasse a deliberar. De acordo com o relatório da Comissão Judicial de Conduta do Texas, Jack Robinson acabou por “pedir desculpa ao júri e frisou que ‘Quando Deus me diz para fazer algo, eu tenho de fazer algo'”.

A comissão recebeu 18 queixas relativamente ao comportamento do juiz de várias pessoas, incluindo do procurador de Comal County, de dois membros do júri e de pessoas que souberam deste incidente quando foi tornado público.

O juiz escreveu um relatório para a comissão a explicar que ficou cada vez mais “preocupado por estar a testemunhar o erro judicial” durante o julgamento e confirmou que pediu ao júri para deliberar mais 10/15 minutos para se “certificarem que não estavam a cometer um erro”.

Acrescentou que na altura do julgamento estava a sofrer lapsos de memória e que estava sob muito stress por estar a receber tratamento médico para um problema de saúde e devido à morte recente de um amigo próximo.

Foi pedida a escusa de Jack Robinson da sentença do caso. Gloria Perez foi condenada a 25 anos de prisão por tráfico sexual. Mas em outubro um juiz considerou que o julgamento teria de ser repetido devido aos comentários parciais de Jack Robinson e às suas decisões.

Gloria Perez continua a aguardar novo julgamento.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »