Portal de Angola
Informação ao minuto

Trump é alvo de nova investigação no Congresso

Comitê apura suspeitas de obstrução da Justiça, corrupção e abuso de poder por parte do presidente e da administração, e solicita documentos a dezenas de pessoas e órgãos. Processo pode levar a pedido de impeachment.

De acordo com a DW África, o Comitê Judiciário da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos revelou nesta segunda-feira (04/03) uma nova investigação contra o governo do presidente Donald Trump, centrada em suspeitas de obstrução da Justiça, corrupção e abuso de poder.

Como primeiro passo do inquérito, a comissão informou ter solicitado documentos a 81 agências do governo, entidades e indivíduos que se acredita terem informações relevantes à investigação, a fim de reunir evidências sobre as suspeitas apuradas.

O processo pode vir a formar a base para um possível pedido de impeachment contra o presidente americano. O Comitê Judiciário, entre outras funções, é responsável por conduzir processos de afastamento de funcionários do governo.

Em comunicado emitido para anunciar a investigação, a comissão informou que vai apurar supostos casos de “obstrução da Justiça, corrupção pública e outros abusos de poder por parte de Trump, de seus aliados e de membros do governo”.

Além da atuação do republicano na Casa Branca, também serão alvo dos investigadores suas atividades comerciais e a campanha à presidência americana em 2016. Organizações, fundações e empresas do presidente tiveram documentos solicitados pelo painel parlamentar.

Entre as pessoas que receberam pedido de documentos estão parentes do presidente, incluindo os filhos Donald Trump Jr. e Eric Trump e o genro Jared Kushner, além de ex-aliados do republicano, como o ex-advogado Michael Cohen, o ex-chefe de campanha Paul Manafort e o ex-conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca Michael Flynn.

A investigação tentará provar, entre outras suspeitas, se Trump obstruiu a Justiça ao tentar interferir em inquéritos criminais ou ao remover supostos inimigos do Departamento de Justiça, como o ex-diretor do FBI James Comey.

Outro foco serão possíveis abusos de poder como presidente, incluindo ofertas de perdão e ataques à imprensa, ao Judiciário e às agências de aplicação da lei.

“Nos últimos anos, o presidente Trump evitou a responsabilidade por seus ataques quase diários às nossas regras e normas básicas legais, éticas e constitucionais”, afirmou o deputado democrata Jerrold Nadler, presidente do comitê, no comunicado.

“Investigar essas ameaças ao Estado de direito é uma obrigação do Congresso e uma função central do Comitê Judiciário da Câmara”, acrescentou o democrata.

Nesta segunda-feira, Trump sugeriu que cooperará com a investigação de Nadler. “Eu coopero o tempo todo com todo mundo”, respondeu ele ao ser questionado sobre o assunto na Casa Branca.

Trump e a equipe que participou de sua campanha presidencial já são alvo de uma investigação por parte do conselheiro especial Robert Mueller, que apura um possível conluio com a Rússia durante o processo eleitoral a fim de favorecer a eleição do republicano.

A investigação já está em suas fases finais e deve ser entregue ao novo procurador-geral dos Estados Unidos, William Barr, que decidirá quais resultados da apuração serão tornados públicos e quais serão apresentados exclusivamente ao Congresso.

A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos é a câmara baixa do Congresso americano – equivalente à Câmara dos Deputados no Brasil – e é composta por uma maioria democrata, opositora ao governo republicano de Trump.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »