- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo América do Sul Porquê o silêncio de tantos países africanos em relação à Venezuela?

Porquê o silêncio de tantos países africanos em relação à Venezuela?

A comunidade internacional está dividida em relação à Venezuela. Dezenas de países apoiam o autoproclamado Presidente Juan Guaidó e outros defendem Nicolás Maduro. Poucos países africanos se posicionam sobre o assunto.

O autoproclamado Presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, chegou na segunda-feira à tarde (04.03) ao aeroporto de Caracas, desafiando ameaças de prisão do Governo de Nicolás Maduro.

“Estamos aqui na Venezuela, depois de uma bem-sucedida viagem internacional e do reconhecimento de dezenas de países, em busca de apoio humanitário e à causa venezuelana e democrática, para continuar a exercer a autoridade e conseguir o fim da usurpação, um governo de transição e eleições livres”, afirmou Guaidó à chegada citado pela DW África.

Na altura em que o opositor e presidente da Assembleia Nacional regressou a Caracas, depois de um périplo por vários estados da região, milhares dos seus apoiantes, começaram a concentrar-se em várias cidades do país, pedindo liberdade, vestidos de branco e com bandeiras da Venezuela.

Há semanas que a Venezuela vive num limbo político, devido a uma luta de poder entre Guaidó, reconhecido como Presidente interino da Venezuela por 50 países, e Nicolás Maduro, que se mantém como chefe de Estado.

Uma questão de legitimidade

“O Parlamento declarou que o segundo mandato de Maduro é ilegal”, afirma Henning Suhr, chefe do escritório na África do Sul da fundação alemã Konrad Adenauer, ligada ao partido da chanceler alemã, Angela Merkel, a União Democrata Cristã (CDU). Segundo ele, o Parlamento de Caracas deveria ter nomeado uma comissão eleitoral antes das eleições presidenciais, mas o Governo de Maduro passou-lhe por cima.

O opositor chadiano Saleh Kebzabo diz, no entanto, que a questão da ilegalidade do mandato de Maduro é uma mera “desculpa” usada pelos “países poderosos”, usada para disfarçar os seus interesses na Venezuela.

- Publicidade -
- Publicidade -

COVID-19: Casos da doença em Moçambique ascendem a 409 com mais 55 nas últimas 24 horas

O ministro da Saúde de Moçambique anunciou mais 55 casos do novo coronavírus, aumentando o total de acumulados para 409, dos quais 14 são...
- Publicidade -

Três gerentes da DirecTV, alvo de ordem de captura, se entregam na Venezuela

Três directores da plataforma por satélite DirecTV na Venezuela se entregaram nesta sexta-feira (5) às autoridades, que ordenaram sua captura após o encerramento das...

Covid-19: Sobe para 88 casos positivos e 24 recuperados em Angola

Angola registou, nas últimas 24 horas, mais dois casos positivos e três recuperados da covid-19, informou hoje, sábado, o secretário de Estado para a...

Portugal: Angolanos contam com posto fixo para emissão do BI

Os angolanos residentes em Lisboa, que pretendam tratar o Bilhete de Identidade e o Registo Criminal, vão contar, a partir de segunda-feira (08) ,...

Notícias relacionadas

COVID-19: Casos da doença em Moçambique ascendem a 409 com mais 55 nas últimas 24 horas

O ministro da Saúde de Moçambique anunciou mais 55 casos do novo coronavírus, aumentando o total de acumulados para 409, dos quais 14 são...

Três gerentes da DirecTV, alvo de ordem de captura, se entregam na Venezuela

Três directores da plataforma por satélite DirecTV na Venezuela se entregaram nesta sexta-feira (5) às autoridades, que ordenaram sua captura após o encerramento das...

Covid-19: Sobe para 88 casos positivos e 24 recuperados em Angola

Angola registou, nas últimas 24 horas, mais dois casos positivos e três recuperados da covid-19, informou hoje, sábado, o secretário de Estado para a...

Portugal: Angolanos contam com posto fixo para emissão do BI

Os angolanos residentes em Lisboa, que pretendam tratar o Bilhete de Identidade e o Registo Criminal, vão contar, a partir de segunda-feira (08) ,...

Milhares vão às ruas do Reino Unido contra o racismo e a violência policial

Neste sábado (6), protestos no Reino Unido contra o racismo e a violência policial ecoaram as manifestações que ocorrem nos Estados Unidos em decorrência...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.