Portal de Angola
Informação ao minuto

Portugal: Mais visitas de Estado para melhorar relações com Angola?

Portugal preparou com celeridade a visita de Estado do Presidente Marcelo Rebelo de Sousa a Angola, que se inicia esta terça-feira (05.3). Para empresário ouvido pela DW África, ocasião é um “virar de página”.

Portugal preparou escrupulosamente e com celeridade esta visita de Estado do Presidente Marcelo Rebelo de Sousa a Angola. Isso, cerca de quatro meses depois do chefe de Estado angolano, João Lourenço, ter visitado oficialmente Portugal, como marco simbólico do fim do mal-estar que imperou nas relações político-diplomáticas entre os dois países. A controvérsia prendia-se com o processo-crime movido pela justiça portuguesa, e que envolvia o ex-vice-Presidente, Manuel Vicente.

Agora, a deslocação do Presidente português a Luanda constitui oportunidade para mais um encontro, ao mais alto nível, e visa dar força aos mais de uma dezena de acordos bilaterais assinados em Lisboa nas áreas da justiça, turismo, engenharia, cultura, saúde, educação, juventude, ambiente e ciência.

“Estreitar a fraternidade”

Dias antes de deixar Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa disse à DW África que esta visita será uma ocasião para estreitar a fraternidade entre os dois Estados, baseada no espírito de diálogo entre os povos e países irmãos que falam português.

“Estarei na semana que vem em Angola com o mesmo espírito, que é estreitar a fraternidade entre povos, estreitar a fraternidade entre pátrias, estreitar a fraternidade entre Estados. E, se os Estados souberem acompanhar aquilo que os povos sentem, não tenho dúvidas que será um grande momento”, disse.

Entre os que acompanham o chefe de Estado português, estão os ministros da Agricultura, Luís Capoulas Santos, e dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva. Falando também à DW África, o chefe da diplomacia portuguesa enalteceu a visita, pela sua “agenda muito rica”, e que, segundo o mesmo, marca “mais um passo no estreitamento do relacionamento bilateral entre Portugal e Angola”.

“Teremos três ou quatro dias de atividades intensas, em diferentes cidades e províncias angolanas – não apenas na capital. Esta foi uma visita concebida e preparada de forma a que a agenda valorizasse todas as dimensões atuais da cooperação entre Angola e Portugal”.

O chefe da diplomacia portuguesa salientou as áreas da soberania, da cooperação para o desenvolvimento e económicas, e explicou que “haverá um fórum empresarial muito importante em Benguela – e, naturalmente, o Presidente da República [de Portugal] contactará com a vasta comunidade portuguesa residente em Angola”.

Empresas portuguesas

Embora não conste na agenda, um dos temas que certamente merecerá seguimento prende-se com a dívida do Estado angolano às empresas portuguesas. Segundo afirmara em Lisboa Manuel Augusto, ministro angolano das Relações Exteriores, essas dívidas não foram totalmente saldadas a tempo devido às dificuldades momentâneas de tesouraria resultantes da crise económica e da queda do preço do petróleo.

Por sua vez, o diretor de Comunicação e Relações Institucionais da Central de Cervejas (SAGRES), Nuno Pinto Magalhães, considera que a visita do Presidente da República Portuguesa a Angola é “é um virar de página de diálogo, de cooperação, de pragmatismo, que será benéfico para Portugal e para Angola”.

“Resolvidos os problemas que tinham que se resolver – as tais pendências irritantes – eu acho que o assunto está perfeitamente potenciador de sermos grandes parceiros económicos. Temos todas as razões para o ser”, explicou o diretor de Comunicação da SAGRES.

Segundo Pinto Magalhães, Angola é um mercado com grande potencial, onde a empresa já produz localmente em parceria com a Sociedade de Distribuição de Bebidas de Angola (SODIBA). Por isso, diz ver como “um bom sinal” a visita do Presidente português ao país africano de língua portuguesa.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »