Ensa
Portal de Angola
Informação ao minuto

Manny Machado. O bad boy do basebol que assinou um contrato de 300 milhões de dólares

(Reuters)

Aos 26 anos, Manny Machado vai tornar-se o mais caro free agent da história do desporto dos Estados Unidos, faltando apenas a oficialização do acordo com os San Diego Padres. Suspensões, lutas com adversários e frases polémicas não afastaram os pretendentes.

Manny Machado, jogador norte-americano de basebol com origens dominicanas, vai aos 26 anos assinar o maior contrato de sempre rubricado por um free agent (jogador sem equipa) na história dos desportos dos EUA. O atleta vai mudar-se para a Califórnia, garantem vários órgãos de comunicação norte-americanos, onde irá representar os San Diego Padres. O vínculo será de 10 anos e o jogador receberá 300 milhões de dólares (cerca de 264,5 milhões de euros).

A atuar na principal liga de basebol dos EUA (MLB) desde 2012, escreve o Diário de Notícias, Manny Machado jogou nos Baltimore Orioles até à segunda metade da época de 2018, quando se mudou para os Los Angeles Dodgers. Um dos alvos mais apetecíveis do mercado de jogadores livres, tinha mais pretendentes, especialmente nos Chicago White Sox e Filadélfia Phillies.

No entanto, Manny Machado preferiu o sol californiano e o contrato que lhe oferecia mais dinheiro. Os White Sox terão oferecido 250 milhões de dólares, mais incentivos e variáveis que poderiam fazer ascender o valor aos 350 milhões de dólares. Mesmo considerando apenas o dinheiro garantido, era uma proposta que pagava mais por ano do que a dos San Diego Padres.

Enquanto não há resposta oficial e afirmativa dos Padres, cujo presidente executivo, Ron Fowler, disse apenas não haver acordo e que as “discussões continuam”, já há reações dos que perderam o leilão. Kenny Williams, vice-presidente executivo da equipa de Chicago, falou da situação a alguns jornalistas… de óculos de sol. “Estou a usar os óculos para não verem o choque nos meus olhos”, afirmou, segundo o The Athletic.

“Estou muito surpreendido. Existem outras palavras para utilizar, mas ainda não consigo bem acreditar. Acredito honestamente que tínhamos a melhor oferta”, disse também o responsável dos Chicago White Sox, segundo a ESPN.

Mesmo ainda sem confirmação inicial do negócio, é já possível prever onde Manny Machado ficará na lista dos mais bem pagos, não só no basebol, mas tendo também em conta outros desportos. Como referido, será o contrato de free agent mais lucrativo da história do desporto norte-americano, ultrapassando Alex Rodriguez, que tem os outros dois lugares do pódio. Rodriguez assinou pelos Texas Rangers por dez anos, em 2001, a troco de 252 milhões de dólares, ultrapassando a cifra em 2008, ao vincular-se aos Yankees, de Nova Iorque, também por uma década, mas por 275 milhões de dólares.

O dinheiro envolvido na ida de Manny Machado para os San Diego Padres não ultrapassa, porém, o que Giancarlo Stanton obteve dos Miami Marlins: uma extensão de contrato de 13 anos no valor de 325 milhões de dólares (aproximadamente 286,8 milhões de euros). Refere a CBS que o contrato de Machado, do qual o jogador pode optar por sair ao fim de cinco anos, entra para o top 3 dos mais lucrativos de todo o desporto. Apenas Stanton, em segundo lugar, e o pugilista Canelo Alvarez, de 28 anos, que lidera com um contrato de 365 milhões de dólares (mais de 322 milhões de euros) por 11 lutas, ficarão à frente de Machado.

No entanto, espera-se que a qualquer momento o contrato de Manuel Arturo Machado (o verdadeiro nome de Manny) seja eclipsado por um possível negócio em torno do colega de profissão Bryce Harper, de 26 anos, também ele free agent depois de sete anos nos Washington Nationals.

Suspensões, lutas e a falta de vontade para correr
Ao que tudo indica, o novo contrato de Manny Machado tem em conta apenas o passado e a capacidade desportiva do jogador, confirmando-se algo que vinha sendo anunciado pela imprensa especializada: as críticas e polémicas em torno do craque do basebol não influenciaram a quantidade de dólares que vai receber.

E esses momentos controversos começaram logo após o jogador, que foi terceira escolha no draft de 2010, estar há um par de anos na MLB. Em junho 2014, e depois de no dia anterior ter discutido com um adversário, Manny Machado acertou, alegadamente de forma inadvertida, com o taco num jogador dos Oakland Athletics, que acabou por abandonar o desafio. Mais tarde, e após algumas bolas lançadas na sua direção, Manny soltou o taco na direção do campo quando balançava para atingir uma bola. Os bancos de suplentes ficaram vazios e viveram-se momentos de tensão dentro de campo. Machado acabou por ser multado e suspenso por cinco jogos.

Precisamente dois anos depois do castigo de cinco jogos, Manny Machado envolveu-se numa luta com um oponente e foi suspenso, desta vez por quatro jogos. Mais uma vez após considerar que alguns lançamentos estavam a sair demasiado na direção do seu corpo, atirou o taco para o chão, tirou o chapéu e correu para agredir Yordano Ventura, jogador dos Kansas City Royals. Mais uma situação em que os bancos de suplentes ficaram rapidamente sem ninguém.

Em abril de 2017, depois de dois jogos algo apagado contra os Boston Red Sox no espaço de duas semanas, Manny Machado resolveu reagir, mas desta vez fora de campo. Furioso, o então jogador dos Baltimore Orioles não teve medo das palavras frente aos jornalistas. “Perdi o respeito pela organização, pelo staff de treinadores e por toda a gente presente [nos Red Sox]”, foi talvez a frase menos agressiva e com menos bips a censurar as palavras menos simpáticas, como pode ver no vídeo abaixo.

A mais recente polémica em torno de Manny Machado surgiu na eliminatória de acesso à World Series de 2018, a final da MLB, quando o jogador, já nos Dodgers, defrontou os Milwaukee Brewers. Num dos jogos, um momento em que Machado não se esforçou, de forma notória, para chegar a uma das bases, ficou na retina de quem via o jogo. Mais tarde, o jogador admitiu a falta de “luta” em declarações ao The Athletic.

“Obviamente não vou mudar. Não sou o tipo de jogador que vai lutar e correr da linha para deslizar para a primeira base e depois tudo pode acontecer. Não é a minha personalidade, não é o que gosto mais e não é quem sou. Devia ter corrido? Sim, mas não o fiz e agora sofro as consequências. Vejo as imagens e penso ‘uau, que estava eu a fazer?’. São as emoções do jogo”, afirmou na altura.

“Devia-me ter esforçado mais? Claro, a culpa é minha. É a minha mentalidade quando estou no jogo. Existem coisas que aprendemos e coisas que temos de mudar. Tenho tentado mudar em oito anos e ainda não consegui decifrar a situação, mas um destes dias vou conseguir”, garantiu Manny Machado.

O historial de incidentes, aos quais se juntaram mais alguns numa eliminatória com os Brewers, levaram o jogador da equipa de Milwaukee, Christian Yelich, a ser bastante duro com Machado: “Uma vez é um acidente. Mas uma e outra vez… é uma jogada suja. Ele é um jogador sujo.”

A verdade é que o rol de situações nas quais Manny Machado se viu envolvido não impediram os San Diego Padres de oferecerem 300 milhões de dólares ao jogador. Ao mesmo tempo, também não assustaram os outros pretendentes que, depois de verem as ofertas caírem por terra, aguardam apenas a confirmação oficial e assinatura do contrato.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »