Portal de Angola
Informação ao minuto

Oficiais militares do antigo exército do governo angolano em péde guerra

VOA

(Foto: Lídia Onde)

Em causa está a disputa da liderança da associação que conta com mais de oitenta mil membros. Para falar sobre assunto, ouvimos Botelho Diogo, vice presidente da direcção destituída, António Fernando Samora e Caetano Marcolino, presidente da actual direcção.

A Associação de Apoio aos Combatentes das Ex-Forças Armadas Populares de Libertação de Angola (ASCOFA) está, desde o ano passado, a disputar a liderança da associação, por alegados desvios de fundos e falsificação da identidade militar de alguns dos seus integrantes.

Tudo começou com a destituição do presidente da ASCOFA, que está na direcção há mais de 17 anos, que não reúne o consenso da maioria dos associados.

António Fernando “Samora” é acusado de crimes de apropriação de bens provenientes do Instituto de Reintegração Social dos Ex-Militares (IRSEM) para apoiar os antigos combatentes e respectivas famílias e o de apresentação de documentos e inserção de dados estatísticos falsos dos membros que integram a associação.

Fazem ainda parte da acusação a não apresentação de relatórios de prestação de contas referentes aos pagamentos das quotas desde a criação da associação, a 1 de Agosto de 2001, falsificação da conta bancária da associação, assim como de apropriação da dotação orçamental proveniente do Ministério dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria destinados ao pagamento de subsídios a ex-militares.

No início do mês de Fevereiro os membros da associação que contestam a liderança de António Fernando “Samora”, realizaram uma assembleia geral, que elegeu um novo presidente, tendo sido investido no cargo o oficial superior Caetano Marcolino.

Nesta altura, a direcção da associação está dividida em duas alas, muito embora a direção liderada por António Fernando Samora, não admita este cenário.

O vice presidente da direção destituída, Botelho Diogo, acusa os membros da outra ala, como sendo um grupo de amigos que não tem legitimidade para falar em nome da associação.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »