Portal de Angola
Informação ao minuto

Irão promete vingança após ataque suicida contra a Guarda Revolucionária

Presidente iraniano, Hassan Rohani (AP Photo/Ebrahim Noroozi)

De acordo com o Observador que cita a Lusa, o Presidente iraniano, Hassan Rohani, prometeu hoje vingar-se do “grupo mercenário” que matou 27 membros da Guarda Revolucionária do Irão num ataque suicida, na quarta-feira, e acusou Israel e os Estados Unidos de apoiarem o terrorismo.

“A principal raiz do terrorismo na região são os Estados Unidos, os sionistas (Israel) e alguns países produtores de petróleo (da região) que os financiam”, realçou Rohani antes de partir para Sochi, cidade russa, para uma cimeira sobre a Síria com os Presidentes da Rússia e da Turquia.

“Nós definitivamente pagaremos a esse grupo de mercenários o preço pelo sangue derramado pelos nossos mártires”, indicou o Presidente do Irão, citado pela agência de notícias Irna.

Também o Ministério dos Negócios Estrangeiros iraniano garantiu, na quarta-feira, que o Irão vingará o atentado contra a Guarda Revolucionária que fez pelo menos 27 mortos e 20 feridos e acusou “países da região” de apoiarem o grupo terrorista que o perpetrou.

Em comunicado, o exército de elite do regime do Irão indicou que 27 membros dos Guardiães da Revolução iranianos foram mortos num atentado suicida contra o autocarro que os transportava de uma missão de patrulha na fronteira.

O atentado ocorreu na estrada entre as localidades de Khash e Zahedan, na província de Sistão-Baluchistão, no sudeste do país, segundo a agência Irna, que antes indicara um balanço de 20 mortos.

Segundo vários meios de comunicação social iranianos, o grupo extremista Yeish al-Adl reivindicou o atentado.

O ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Mohamad Yavad Zarif, escreveu na rede social Twitter: “Não é uma coincidência que o Irão tenha sido atacado pelo terrorismo no mesmo dia em que começa o circo de Varsóvia?”.

“Parece que os Estados Unidos tomam sempre as mesmas decisões erradas, mas esperam resultados diferentes”, acrescentou, referindo-se à conferência sobre segurança no Médio Oriente na capital da Polónia e que as autoridades iranianas consideram uma tentativa dos Estados Unidos para criar uma coligação contra o Irão.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »