Portal de Angola
Informação ao minuto

Cimeira da União Africana arranca hoje com refugiados na agenda

plenario. A 30ª Cimeira da União Africana (DR)

De acordo com o Diário de Notícias que cita a Lusa, a 32.ª cimeira da União Africana arranca hoje em Addis Abeba, capital na Etiópia, com a presença de 40 representantes de países africanos e de organizações internacionais, com o tema dos refugiados e deslocados na agenda de trabalhos.

Durante o encontro, que decorre até segunda-feira, o Egito vai assumir a presidência rotativa da organização, com o Presidente egípcio Abdel Fattah al-Sisi a substituir o Presidente do Ruanda, Paul Kagame.

São esperados para a cimeira 40 líderes africanos e responsáveis de instituições internacionais, incluindo o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres.

Em representação dos países lusófonos que integram a organização estarão presentes os primeiros-ministros cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, e são-tomense, Jorge Bom Jesus, o ministro das Relações Exteriores de Angola, Manuel Augusto, e o ministro dos Negócios Estrangeiros da Guiné-Bissau, João Butiam Có.

Moçambique estará representado pelo Presidente da República, Filipe Nyusi.

O encontro dos chefes de Estado e de Governo dos 55 Estados-membros da organização acontece num contexto em que a União Africana decidiu dedicar o ano de 2019 aos refugiados, retornados e deslocados internos no continente africano.

Em cima da mesa estará, no âmbito do projeto de reforma da organização, a proposta de criação de um departamento de saúde, assuntos humanitários e desenvolvimento social para tratar as questões dos refugiados e deslocados, retirando-as do atual departamento de assuntos políticos.

África acolhe 6,3 milhões de refugiados e 14,5 milhões de deslocados internos.

A cimeira deverá validar igualmente o consenso obtido, em novembro, sobre a reforma institucional da organização e dar passos no sentido da concretização de projetos como a Zona de Comércio Livre, o Mercado Único de Transportes Aéreos, o protocolo sobre livre circulação de pessoas e o Passaporte Africano.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »