Smiley face

MPLA considera ano 2019 de consolidação das transformações nacionais

0 30

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

O ano 2019 é, para o MPLA, de afirmação e consolidação das grandes transformações nacionais, que deverão assentar-se numa acção governativa rigorosa, transparente, patriótica e com uma aposta séria no sector social e na diversificação da acção económica, visando o aumento da produção interna de bens e serviços e da geração de empregos.

Segundo avança Angop, a afirmação foi reiterada hoje, sexta-feira, em Saurimo, pela coordenadora do grupo de acompanhamento do Comité Central à província da Lunda Sul, Maricel Marinho, durante o acto de divulgação da agenda política do MPLA para o ano 2019, conforme escreve Angop.

Para o êxito destes desideratos, Maricel Marinho sublinhou que se afigura imprescindível o envolvimento e comprometimento patriótico dos militantes, sobretudo os dirigentes do MPLA, para que juntos possam melhorar o que está bem e corrigir o que está mal, em benefício do povo angolano.

Segundo ela, com a concretização da agenda política para o ano 2019, o MPLA, enquanto um partido politicamente inclusivo e inovador, será mais fortalecido na sua nobre e plena missão de prosseguir com as aspirações e espectativas do povo angolano.

Por seu turno, o secretário provincial do MPLA na Lunda Sul, Daniel Neto, referiu que o partido tudo fará, utilizando todas as forças e meios que estiverem ao alcance, para a materialização efectiva desta agenda, mobilizando mais recursos para resolver os problemas sociais que afligem a população local, sobretudo no sector da educação, saúde, agricultura, energia e água.

“Se todos nós estivermos unidos numa só causa e falarmos a mesma linguagem, não será difícil materializarmos esta agenda, porque tudo está ao nosso alcance”, frisou.

De acordo com agenda política lançado no sábado, 2, em Luanda, pela vice-presidente do partido, Luísa Damião, o MPLA quer difundir e defender as suas principais posições no contexto político, económico e social, implementar a estratégia para as eleições autárquicas, nas suas diferentes etapas e disseminar, a nível das estruturas intermédias e, de base do partido, o regulamento sobre as eleições internas dos candidatos aos órgãos autárquicos.

Quanto a cidadania e moralização da sociedade, continuará a desencadear um amplo programa de resgate dos bons hábitos e valores cívicos, morais e patrióticos e de respeito à coisa pública, envolvendo as estruturas, os militantes e outras organizações da sociedade civil, encorajar os militantes de todas as estruturas e os cidadãos em geral, na prevenção e combate à corrupção, à impunidade, nepotismo, ao branqueamento de capitais e outros males que têm causado prejuízos ao Estado.

A agenda prevê também a monitorização e adequação da execução do Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN) 2018-2022 e dos diversos Programas Executivos de Governação, com realce para a implementação do Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações e conceber medidas para uma reforma do Estado mais ampla e profunda.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Translate »