Portal de Angola
Informação ao minuto

Número de mortos subiu para 465 e o de casos fixou-se em 788 devido ao ébola na RDC

(© Kenny-Katombe Butunka/Reutes)

Segundo o Observador que cita a Lusa, o número de mortos devido ao vírus Ébola na República Democrática do Congo (RDCongo) subiu para 465 até segunda-feira, enquanto se diagnosticaram 788 casos de contágio, indicou ontem a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Relativamente ao anterior registo, de 30 de janeiro, ocorreram mais 25 mortes e as equipas da OMS, do Ministério da Saúde da RDCongo e organizações não-governamentais diagnosticaram laboratorialmente 45 novos casos de contaminação.

Beni (147 mortos), Katwa (105), Mabalako (71), Butembo (54) e Kalunguta (34) continuam a ser as localidades da província de Kivu Norte com maior mortalidade devido ao contágio do Ébola, desde que a epidemia foi declarada, em 1 de agosto do ano passado.

Nestas localidades da província de Kivu Norte, o grupo armado Forças Democráticas Aliadas (ADF, na sigla em inglês) tem multiplicado os ataques contra civis, o que complica a resposta sanitária.

Na província de Ituri, a norte de Kivu Norte, as localidades de Komanda registaram 21 mortos e Mandima 13 desde 1 de agosto até segunda-feira passada.

Esta epidemia de Ébola, que se transmite por contacto físico através de fluidos corporais infetados e que provoca febre hemorrágica, foi constatada em Mangina, na província de Kivu Norte.

O Governo da RDCongo admitiu que a epidemia de Ébola é já a maior da história do país relativamente ao número de mortos e contágios.

A RDCongo foi atingida nove vezes pelo Ébola, depois da primeira aparição do vírus naquele país africano, em 1976.

Em 1995, o vírus do Ébola provocou a morte a 250 pessoas na cidade de Kikwit, na província de Kwilu, no sudoeste da RDCongo.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »