Smiley face

ASA pode desistir do Unitel-Basket

0 8

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

A formação de basquetebol do ASA, 6ª classificada do Campeonato Nacional sénior masculino, com 25 pontos, pode, em breve, desistir da prova por dificuldades financeiras, afirmou nesta sexta-feira à Angop, em Luanda, o técnico Carlos Dinis.

Em causa, segundo disse, está a dívida em salários com atletas e equipa técnica, para alguns na ordem de três anos, acrescentando que a continuidade ou não no Unitel-Basket depende dos jogadores que ainda se mantêm em prova.

De acordo com o ex-seleccionador nacional, além dos treinadores, são no total cinco basquetebolistas cuja divida em salário (200 mil kwanzas mês – máximo e 100 mil mínimo) é de três anos.

Para Carlos Dinis chega-se a uma altura em que a saturação é enorme, fundamentalmente por serem os atletas chefes de famílias, explicando que a situação é do conhecimento da direcção da agremiação.

O ASA, na presente época, recorreu aos préstimos de jogadores provenientes da extinta equipa do Recreativo do Libolo, com custos de contratação menos onerosos, destacando-se Milton Barros, Rege Moore, Teotonio Dó e Roberto Fortes.

O clube, com três títulos conquistados (1980, 1996 e 1997), é patrocinado por algumas empresas nacionais do ramo de transportes.

Problemas idênticos também já afectaram a modalidade de futebol desta colectividade, com o conjunto a descer de divisão em 2017.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Translate »