Radio Calema
InicioAngolaCidadão RepórterMoradores do Baleizão à espera de alojamento

Moradores do Baleizão à espera de alojamento

Antigos moradores do edifício do Baleizão, em Luanda, continuam a pernoitar em frente à antiga residência, um mês depois de serem desalojados pela Administração do Distrito da Ingombota, alegando que o espaço indicado para acomodação não reúne as mínimas condições de habitabilidade.

Segundo o Jornal de Angola, depois de terem sido desalojados em função do estado avançado de degradação do edifício, as 24 famílias lamentam a atitude das autoridades e apelaram a uma maior compreensão, uma vez que as condições criadas para acomodação estão muito aquém das expectativas.

Maria Brígida de Lima considera desumano colocar as pessoas em tendas. “Estivemos por diversas vezes no bairro da Paz, no Distrito Urbano do Ngola Kiluanje, no município do Sambizanga, onde dizem ter criadas as condições. Não estamos a pedir o melhor, mas aquelas que foram criadas não queremos.”

Enquanto persiste o impasse, as crianças correm o risco de perder o ano lectivo, uma vez que as aulas começam a 4 de Fevereiro. Maria Brígida de Lima não quer acreditar que isso venha a acontecer e não sabe o que fazer para contornar a situação.

“Todos os moradores têm filhos pequenos e em idade escolar e estão bastante preocupados, tendo em conta o início do ano lectivo. Penso que as autoridades não tiveram em conta este aspecto, logo torna-se difícil entender o que será destes garotos”, lamentou. O edifício encontra-se vedado com bloco de betão e os pertences dos moradores
encontram-se expostos ao sol e à chuva no largo do Baleizão.

O director do Gabinete de Comunicação e Imagem da Comissão Administrativa da Cidade de Luanda, Francisco Alexandre, disse ao Jornal de Angola que não houve qualquer evolução quanto à situação de acomodação dos moradores do edifício do Baleizão e explicou que se está a trabalhar na busca de soluções.

Francisco Alexandre reconhece que o caso dos moradores do Baleizão surgiu de repente, mas, apesar de tudo, garantiu que as autoridades estão a trabalhar para a solução do problema nos próximos dias.

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.