Portal de Angola
Informação ao minuto

Ano político da UNITA aberto na cidade do Cuito

Militantes da UNITA em acto de massas (DR)

Segundo o Jornal de Angola, a UNITA procedeu à abertura do ano político na cidade do Cuito, província do Bié, num acto em que o vice-presidente do partido, Raul Danda, voltou a exigir a realização das eleições autárquicas em simultâneo e em todos os municípios do país.

Segundo Raul Danda, o país precisa de ter eleições autárquicas, que segundo ele, vêm sendo faladas desde que vigorava o sistema de partido único e, nunca foram implementadas.

“Nós, a UNITA, e outras forças da oposição, fizemos tudo para se realizarem eleições autárquicas. Agora vamos tê-las no próximo ano”, disse o político, insistindo que as autarquias devem ser implementadas ao mesmo tempo e em todos os municípios. “Somos todos iguais perante a Constituição, filhos desta Pátria”, sustentou Raul Danda.

“O município não suficientemente desenvolvido deve merecer o mesmo estatuto de outros, porque foram eles, o MPLA, a governar desde a independência. Agora querem dizer que aquele município não está desenvolvido, não vamos aceitar isso”, afirmou Raul Danda, dirigindo-se ao partido maioritário, que, tal como o Executivo que sustenta, defendem que as autarquias sejam implantadas de forma gradual.

“O Presidente da República, quer goste quer não, deve ser o primeiro a cumprir com a Constituição. Devemos cumprir com a realização das autarquias em todos os municípios”, disse Raul Danda.. A UNITA, segundo Raul Danda, vai apresentar candidaturas independentes para as autarquias. “O cidadão honesto, que não rouba os bens alheios, com competência para fazer um bom trabalho, a UNITA pode apoiar para ser presidente de câmara”, prometeu.

Acto em Benguela

Um acto político, no Lobito, marcou o lançamento do ano político da UNITA na província de Benguela. O acto foi presidido pelo secretário provincial do partido em Benguela, Alberto Ngalanela, que louvou a iniciativa da descentralização administrativa. O também deputado disse ser importante que os administradores municipais, além das competências, também tenham dinheiro para resolver os problemas locais. “Só as autarquias poderão resolver esses problemas”, considerou.

“O modelo de governação centralizada fracassou e é preciso que a UNITA advoga que se realizem as autarquias para que não haja mais dependência dos governadores provinciais e dos ministros, porque até para erradicarem os problemas do lixo e dos buracos, nunca têm verbas”, disse Alberto Ngalanela.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »