Radio Calema
InicioDestaquesTrump assina acordo para fim do 'shutdown' sem ter dinheiro para o...

Trump assina acordo para fim do ‘shutdown’ sem ter dinheiro para o muro

O Presidente norte-americano assinou na sexta-feira o acordo orçamental com o Congresso que permite reabrir serviços e agências governamentais, o que corresponde ao fim do designado ‘shutdown’, durante três semanas, até 15 de fevereiro, escreve o Observador que cita a Lusa.

Donald Trump tomou esta decisão sob uma crescente pressão e um alargamento de situações de rutura de funcionamento, designadamente em aeroportos e serviços fiscais, mas sem conseguir obter o dinheiro para financiar o muro que pretende na fronteira com o México.

Sozinho no Jardim das Rosas, na Casa Branca, Trump disse que iria assinar a legislação que permite o financiamento das estruturas governamentais até 15 de fevereiro e tentar persuadir os congressistas a financiarem o seu muro.

O acordo alcançado não contempla qualquer financiamento para o muro, mas acaba com o maior ‘shutdown’ da história dos EUA.

O recuo de Trump ocorreu no 35.º dia do encerramento parcial de vários serviços do governo, quando se acumulavam várias situações de disfuncionalidade, como os atrasos crescentes nos aeroportos, e se tornava a passar pela situação de não pagamento dos salários a mais de 800 mil funcionários públicos.

O ‘shutdown’ acabou como os líderes democratas queriam: primeiro, reabre-se o governo, depois, fala-se sobre segurança fronteiriça. “O Presidente pensou que podia quebrar os democratas, o que não conseguiu, e espero que tenha aprendido a lição”, afirmou o líder da minoria democrata no Senado, Chuck Schumer.

A presidente da Câmara dos Representantes, a também democrata Nancy Pelosi, reforçou: “A nossa unidade [dos democratas] é o nosso poder. E foi isto que o Presidente subestimou”.

Trump continua a defender a necessidade de construir um muro na fronteira com o México e insiste que pode tornar a fechar o governo, se não lhe derem o dinheiro necessário para isso. Mas, quando as negociações recomeçarem, Trump vai entrar nelas com uma posição enfraquecida. Sondagens recentes consideram Trump o responsável pelo ‘shutdown’.

“Se não conseguirmos um acordo com o Congresso, ou o governo torna a fechar em 15 de fevereiro, outra vez, ou posso usar os poderes que me são concedidos pela lei e a Constituição para resolver esta emergência”, disse Trump.

O Presidente tem dito que pode declarar uma emergência nacional de forma a financiar o muro fronteiriço unilateralmente, se o Congresso não lhe der o dinheiro. Mas esta decisão iria enfrentar uma série de obstáculos legais.

Como parte do acordo com os líderes do Congresso, vai ser criada uma comissão bipartidária, com membros do Senado e da Câmara dos Representantes, para analisar os investimentos na fronteira.

O acordo inclui também o pagamento aos 800 mil funcionários públicos, que têm estado a trabalhar sem receber.

Com as discussões sobre a fronteira a recomeçarem, o líder da maioria republicana no Senado, Mitch McConnell, afirmou que esperava que houvesse “negociações de boa-fé nas próximas três semanas, para procurar resolver as diferenças”.

Schumer, por seu lado, declarou que os democratas, apesar de se oporem ao financiamento do muro, concordam que existem outras formas de ter uma fronteira segura, “o que facilita um eventual acordo”.

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.