Portal de Angola
Informação ao minuto

Trump ameaça “devastar” a economia turca se os curdos forem atacados

(DR)

Ancara responde que vai continuar a combater as milícias curdas apoiadas por Washington, apesar da ameaça do Presidente dos EUA, avança a Sic Notícias.

Numa publicação no Twitter no domingo, Donald Trump afirmou que a economia da Turquia será arrasada se houver um ataque aos curdos, depois da retirada das tropas norte-americanas da Síria.

Em duas mensagens Trump recordou o plano, anunciado em dezembro, da retirada de tropas destacadas na Síria, mas alertou que poderá atacar novamente o auto-proclamado Estado Islâmico (Daesh), se este ganhar força, e que “devastará economicamente a Turquia se atacar os curdos”, e espera que estes não provoquem Ancara.

“A Rússia, o Irão e a Síria tem sido os maiores beneficiários da política duradoura dos Estados Unidos de destruição do Estado Islâmico na Síria – inimigos naturais. Também beneficiamos, mas é tempo de fazer regressar as tropas a casa”, escreveu o Presidente dos Estados Unidos.

O anúncio em dezembro da retirada norte-americana da Síria foi saudado pela Turquia, mas fragilizou a situação dos combatentes curdos que lutaram ao lado dos Estados Unidos contra o grupo jihadista.

O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, tem ameaçado lançar uma ofensiva militar no norte da Síria contra os referidos combatentes, membros de uma milícia que a Turquia considera “terrorista”.

TURQUIA GARANTE QUE VAI CONTINUAR A COMBATER AS MILÍCIAS CURDAS

A Turquia afirmou hoje que vai continuar a combater as milícias curdas apoiadas por Washington, apesar da ameaça do Presidente dos EUA.

“Não há diferença entre o Daesh, PKK (movimento separatista dos curdos turcos), PYD (maior grupo curdo na Síria), YPG (milícias curdas sírias). Continuaremos a lutar contra todos eles”, escreveu na rede social Twitter, o porta-voz da presidência da Turquia, Ibrahim Kalin, numa resposta direta ao Presidente norte-americano.

“Senhor Donald Trump, os terroristas não podem ser seus parceiros e aliados. A Turquia espera que os EUA honrem a nossa parceria estratégica e não quer que ela seja ensombrada pela propaganda terrorista”, acrescentou Ibrahim Kalin.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »