Portal de Angola
Informação ao minuto

Homem agride mulher com bloco de cimento na cabeça até à morte

(DR)

Ana Manuel Zua, de 18 anos, já estava deitada na cama do casal quando foi atacada pelo marido, durante a madrugada do dia 5 deste mês. O homem, de 31 anos, e cujo nome não foi revelado, pegou num bloco de cimento e bateu-lhe com ele até à morte.

A informação foi transmitida ao NJOnline durante o balanço das acções investigativas de combate à criminalidade com destaque para a criminalidade violenta em toda extensão da província de Luanda, no período de 1 a 9 deste mês.

Segundo o Serviço de Investigação Criminal (SIC), questões passionais estarão na origem do assassinato da jovem de 18 anos de idade.

O SIC-Luanda foi até ao anexo da vivenda onde o casal vivia, no bairro do Partido, município de Talatona, e ainda tentou reanimar a vítima, mas sem sucesso. O marido foi detido sem oferecer resistência e já confessou a autoria do crime.

De acordo com o director de comunicação do Ministério do Interior, intendente Mateus Rodrigues, o autor confesso do crime de homicídio qualificado, após um desentendimento com a esposa, bateu-lhe com um bloco de cimento repetidas vezes na cabeça até a jovem perder a vida.

“A mulher perdeu a vida na hora, o homicida, no sentido de ilibar-se do acto praticado, deu um banho à vítima e voltou a deitá-la na cama como se estivesse a dormir”, disse, sublinhando que o acusado foi de imediato informar a irmã da vítima que a sua mulher se encontrava desmaiada na cama há várias horas.

“A cunhada do acusado não acreditou na versão, e decidiu, sem este dar conta, ligar à polícia e fazer a denúncia”, revelou, acrescentando que no momento que os efectivos do SIC-Luanda e os do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros (SPCB) chegaram ao local tentaram sem sucesso reanimar a jovem.

“O suspeito do crime de homicídio qualificado entrou em desespero e ficou a chorar, tendo sido minutos depois algemado e transportado para o Comando Municipal de Talatona da Polícia Nacional onde confessou autoria do crime no departamento de investigação criminal”, explicou.

Mateus Rodrigues fez saber ainda que o homem já foi presente ao magistrado do Ministério Público (MP) e já foi legalizada a sua prisão, aguardando o julgamento em regime fechado na Comarca de Viana.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »