Smiley face

Criminosos detonam explosivos em viaduto na 9ª noite de ataques no Ceará

G1

0 27

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Série de ataques tem 184 ações criminosas em 43 cidades cearenses desde 2 de janeiro. Polícia capturou 287 suspeitos de envolvimentos nos ataques e conta com apoio da Força Nacional.

Criminosos continuam a cometer ataques a equipamentos públicos na 9ª noite de violência no Ceará. Em Fortaleza, houve detonação de explosivos embaixo de um viaduto na CE-040, no Bairro Messejana, nesta quinta-feira (11). O impacto do explosivo deixou buracos na parede de sustentação do viaduto.

De acordo com a Polícia Militar, parte desse explosivo não detonou e por conta disso a área do viaduto foi isolada e o esquadrão antibomba irá fazer a retirada do artefato explosivo.

Uma série de ataques criminosos no Ceará soma, desde o dia 2 de janeiro, 184 ações violentas contra ônibus, carros, delegacias, bancos e prédios públicos e privados. Os atentados tiveram início após o anúncio de medidas do Governo do Estado para tornar mais rígida a fiscalização nos presídios. O secretário da Segurança Pública do estado, André Costa, afirmou que não vai “recuar nenhum milímetro”.

O barulho da explosão em Messejana nesta quinta foi ouvido em bairros próximos. De acordo com uma moradora da região que não quis se identificar, a explosão gerou um tremor nas casas vizinhas. “Foi um estrondo muito forte, tipo como se tivesse uma implosão de um prédio”, afirma.

Durante a madrugada de quarta (10) também houve explosão no viaduto da estação da Linha Sul do Metrô de Fortaleza do Bairro Parangaba, em Fortaleza.

Como reação do Governo do Estado aos crimes, o governador Camilo Santana informou que chefes de facções criminosas que estavam presos no Ceará foram transferidos para presídios federais em outros estados. Ele também comunicou que 287 suspeitos foram capturados por envolvimento nos ataques. O Ceará conta também com apoio da Força Nacional e policiais militares de outros estados na força-tarefa contra a onda de violência.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Translate »