Portal de Angola
Informação ao minuto

Rússia acusa BBC de propagar ideias do grupo ‘jihadista’ Estado Islâmico

Expresso / Lusa

(PETER MACDIARMID/GETTY)

No final de dezembro, a entidade de vigilância dos media tinha anunciado o início de controlos sobre as atividades na Rússia da cadeia televisiva BBC World News e de ‘sites’ da BBC na internet

As autoridades russas acusaram nesta quinta-feira a BBC de propagar as ideias do grupo ‘jihadista’ Estado Islâmico (EI) e indicaram que examinam os seus programas “em permanência”, num contexto de fortes tensões entre Moscovo e Londres.

“Foi identificado conteúdo que propaga as perspetivas ideológicas de organizações terroristas” no ‘site’ russo da BBC, indicou em comunicado a entidade russa reguladora dos media Roskomnadzor, precisando tratar-se de “citações” do líder do EI, Abu Bakr al-Baghdadi. “Estão a decorrer avaliações para verificar se o conteúdo respeita as normas da lei russa contra o extremismo”, acrescenta o Roskomnadzor no âmbito do inquérito já iniciado. O EI está banido na Rússia, e os media devem referir esta decisão sempre que se referem à organização.

No final de dezembro, a entidade de vigilância dos media tinha anunciado o início de controlos sobre as atividades na Rússia da cadeia televisiva BBC World News e de ‘sites’ da BBC na internet, em resposta às declarações do regulador britânico do audiovisual que acusou a cadeia de informação russa RT de ter desrespeitado as regras da imparcialidade.

A BBC World News é a cadeia de informação em inglês da BBC sobre a atualidade internacional. O serviço em língua russa da BBC existe apenas na internet.

“O Roskomnadzor vigia em permanência os programas da BBC World News difundidos na Rússia”, indiciou hoje o regulador russo. O organismo precisou que os controlos serão efetuados entre 14 e 31 de janeiro para verificar se o difusor da BBC World News em russo respeita a regulamentação audiovisual.

Em paralelo, o Roskomnadzor forneceu à BBC um prazo até quarta-feira para lhe fornecer documentos que confirmem o respeito pela lei russa que limita a participação de entidades estrangeiras no capital dos media difundidos na Rússia.

Em dezembro, o Kremlin evocou o “caráter parcial da cobertura” da BBC em diversos acontecimentos, em particular os relacionados com a situação na Síria e a política interna russa. Estas declarações surgem na sequência das posições do regulador britânico Ofcom, que acusou a RT de transgredir as regras da imparcialidade durante a sua cobertura do envenenamento em março de 2018 no sul de Inglaterra do ex-agente duplo russo Serguei Skripal.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »