Portal de Angola
Informação ao minuto

O homem mais rico do mundo divorciou-se. E o que é que isso interessa ao mundo dos negócios?

(DR)

Interessa muito. Por razões de liderança inerentes à gestão da Amazon, hoje a empresa mais valiosa do mundo. E também porque o divórcio pode trazer para a lista um novo nome nas mulheres mais ricas do mundo, Makenzie Bezos, escreve o Sapo 24.

O homem mais rico do mundo chama-se Jeff Bezos, tem uma fortuna avaliada em 137 mil milhões de dólares ( 112 mil milhões de euros) e é dono de uma empresa chamada Amazon.

Ontem, dia 9 de janeiro, anunciou ao mundo pelo seu próprio punho – será mais apropriado dizer teclado – que se estava a divorciar da mulher com quem casou há 25 anos, um ano antes de se ter “casado” com a Amazon, no início de uma nova era em que nada garantia que fosse o fundador daquela que é hoje a empresa mais valiosa do mundo (avaliada em 810 mil milhões de dólares, cerca de 700 mil milhões de euros, mais de três vezes o PIB português – 193 mil milhões de euros em 2017).

Mas vamos à história. Jeff e Makenzie Bezos casaram-se em 1993, tiveram quatro filhos e nos 25 anos que durou o casamento nasceu em paralelo a empresa mais valiosa do planeta.

O anúncio do divórcio foi publicado no Twitter e assinado por ambos. Está cuidadosamente escrito, é correto e educado. Como assinala o Quartz, “mantém a mensagem absolutamente desinteressante, ainda que escrita de forma simpática”. Uma mensagem tão irrepreensível que houve até quem dissesse que o divórcio dos Bezos soava melhor que o casamento de muitas pessoas.

Porque é que um homem de negócios, mesmo o mais rico do mundo, teve de anunciar ao mundo que se estava a divorciar? Por causa dos mercados, por causa dos media, por causa da globalização que faz com que um casal se divorcie na América e o negócio que detém no mundo inteiro possa tremer se todas as partes com algum tipo de interesse não perceberem a história da forma mais pacífica possível. E foi isso que o casal Bezos fez – contou a história bem contada, por eles, tornando-a – ou pelo menos assim procurando fazer – apenas mais uma história normal de divórcio. Amámo-nos muito, tentámos manter o casamento, não resultou, vamos continuar amigos.

Makenzie Bezos, de 48 anos, é uma escritora premiada. Ela e Jeff Bezos conheceram-se antes da Amazon, quando trabalhou no fundo de investimento D.E. Shaw gerido pelo fundador da Amazon. É-lhe atribuído um papel determinante na decisão de Jeff Bezos avançar com a Amazon, uma história aliás contada e repetida pelo próprio.

Bezos detém 16,3% das ações da Amazon, lançou a Blue Origin, uma companhia de exploração espacial, e comprou em 2014 o jornal The Washington Post. Um valor conjunto que lançou inevitáveis especulações sobre os termos do divórcio e a repartição da fortuna. Para já, existe apenas a declaração conjunta da qual os os mercados gostaram. As ações da Amazon valiam mais 1.23 dólares a meio da sessão de ontem na bolsa americana.

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »