Radio Calema
InicioDestaquesGuerra comercial: Negociações EUA-China arrancam hoje

Guerra comercial: Negociações EUA-China arrancam hoje

Arranca esta segunda-feira uma reunião de dois, ao mais alto nível, entre Washington e Pequim, para encontrar uma solução à guerra comercial espoletada em 2018. O que está em causa?

Após o encontro entre Donald Trump e Xi Jinping durante a cimeira do G20, em dezembro, uma delegação de alto nível dos Estados Unidos (EUA) está esta segunda-feira na China para negociar as tarifas alfandegárias sobre importações com oficiais chineses. Durante a semana, representantes comerciais norte-americana reúnem-se com oficiais europeus e japoneses, em Washington.

O que está em causa?

Um acordo comercial é a expectativa. Em 2018, os dois países impuseram milhares de milhões de dólares de tarifas sobre os bens importados uns do outro, por isso, estas negociações de dois dias marcam a primeira reunião formal, uma vez que ambos os Estados concordaram em abster-se de qualquer tarifa adicional por 90 dias. Embora a trégua temporária tenha proporcionado algum alívio nos mercados, há ceticismo quanto à possibilidade de um avanço esta semana.

O que está marcado na agenda?

A delegação dos EUA é liderada pelo vice-representante para as Relações Comerciais norte-americana, Jeffrey Gerrish. As negociações vão incidir sobre uma série de questões difíceis para ambas as economias. “O principal ponto de discórdia será a política industrial e os direitos de propriedade intelectual”, de acordo com o economista da Capital Economics, Julian Evans-Pritchard, citado pela “BBC”.

China e Estados pretendem negociar “alterações estruturais no que diz respeito à transferência forçada de tecnologia, proteção à propriedade intelectual, barreiras alfandegárias, intrusões e roubos informáticas”.

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.