Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Igreja beatifica 19 religiosos católicos assassinados na Argélia

A Igreja Católica beatificou hoje na Argélia 19 religiosos e religiosas católicos assassinados durante a guerra civil, entre os quais os sete “monges de Tibhirine”, na primeira beatificação organizada num país muçulmano, escreve o Notícias ao Minuto que cita a Lusa.

Cerca de 1.200 pessoas, algumas centenas vindas do estrangeiro, concentraram-se na esplanada da capela de Nossa Senhora da Cruz, na cidade de Orão (400 quilómetros a oeste de Argel), durante as duas horas e meia da cerimónia.

Que “o bispo Pierre Claverie (…) e os seus 18 companheiros, fiéis mensageiros do Evangelho, humildes artesãos da paz (…) sejam a partir de agora considerados abençoados”, declarou o cardeal Angelo Becciu, enviado especial do papa, que leu o decreto de beatificação em latim.

Familiares dos novos beatos, religiosos católicos e imãs muçulmanos, assim como o ministro dos Assuntos Religiosos argelino, Mohamed Aissa, estiveram presentes na cerimónia.

O arcebispo de Argel, Paul Desfarges, homenageou “as milhares e milhares de vítimas da guerra civil argelina (…) heróis anónimos do quotidiano” e foi observado um minuto de silêncio.

O papa Francisco enviou uma mensagem desejando que a “celebração ajude a curar as feridas do passado e crie uma nova dinâmica do encontro e da convivência”.

Os “19 mártires da Argélia” incluem 15 franceses, dois espanhóis, um belga e uma maltesa, de oito diferentes congregações católicas, assassinados entre 1994 e 1996, durante a guerra civil na Argélia, que causou cerca de 200.000 mortos.

Pierre Claverie, dominicano e arcebispo de Orão, partidário do diálogo com o islão, foi morto em 1996 por uma bomba, que matou também o seu jovem motorista argelino Mohamed Bouchikhi, também homenageado.

Beatificados foram também os sete monges trapistas de Tibhirine, raptados em 1996 e dos quais só as cabeças foram encontradas, um assassínio cujas circunstâncias exatas continuam a ser um mistério.

O caso inspirou o filme do realizador francês Xavier Beauvois, “Dos Homens e dos Deuses”, Prémio Especial do Júri em Cannes em 2010.

Do grupo dos beatificados fazem ainda parte quatro Padres Brancos metralhados no pátio da sua missão em Tizi-Ouzou (100 quilómetros a leste de Argel) no final de 1994, um irmão marista, uma irmã da congregação da Assunção, duas freiras missionárias agostinianas, duas freiras de Nossa Senhora dos Apóstolos e uma irmã do Sagrado Coração.

Todos foram mortos a tiro e todos tinham recusado, apesar dos riscos, abandonar a Argélia e a sua população.

O que explica, segundo Paul Desfarges, a vontade da Igreja Católica de que a sua beatificação fosse na Argélia.

Restam poucos cristãos na Argélia dado a maioria ter abandonado o país aquando da sua independência em 1962. O islão é a religião de Estado e de 99% dos habitantes, embora a Constituição garanta a liberdade de culto.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »