Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

‘Bolsonaro só venceu porque não competiu contra mim’, diz Lula em carta à BBC

Sputnik

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse em uma entrevista à rede britânica BBC que o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) não teria vencido as eleições gerais de outubro se o tivesse enfrentado.

“Bolsonaro venceu apenas porque não competiu contra mim”, declarou Lula em cartas endereçadas à BBC, em uma espécie de entrevista postal que fará parte de um documentário preparado pela rede britânica.

O ex-presidente está preso em Curitiba desde abril e a Justiça brasileira proibiu-o de conceder entrevistas para a mídia brasileira. Nas cartas, Lula observa que sua detenção é politicamente motivada, porque pretendia impedi-lo da corrida presidencial.

“Eu fui condenado por ser o presidente de maior sucesso da República e aquele que fez mais pelos pobres”, escreveu o petista, referindo-se aos altos índices de aprovação que ele tinha quando deixou o cargo em janeiro de 2011.

Ainda de acordo com Lula, foi diante disso que o então juiz federal Sérgio Moro – hoje ministro da Justiça do governo Bolsonaro – exerceu sua influência.

“[O juiz] Moro sabia que, se agisse de acordo com a lei, teria que absolver-me e eu seria eleito presidente. Então ele fez política e não justiça e agora se beneficia disso”, acusou o petista.

Quando sua candidatura ao Partido dos Trabalhadores (PT) foi vetada pelo Judiciário no início de setembro, Lula tinha 20 pontos percentuais de vantagem sobre o Bolsonaro.

Seu substituto, Fernando Haddad, ex-ministro da Educação e ex-prefeito de São Paulo, obteve 45% dos votos, contra 55% em Bolsonaro.

Lula cumpre pena de 12 anos e um mês de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro, mas tem vários casos pendentes que podem aumentar seus anos de prisão. Ele tem um pedido de habeas corpus pendente junto ao Supremo Tribunal Federal (STF), em julgamento que acabou interrompido por um pedido de vista do ministro Gilmar Mendes.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »