Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Manifestantes na Grécia atiram bombas incendiárias e pedras contra a polícia

As autoridades mobilizaram cerca de 2.500 agentes e um helicóptero, para controlar as várias marchas e comícios

Segundo a SIC Notícias que cita a Lusa, centenas de manifestantes na Grécia atiraram hoje bombas incendiárias e pedras contra a polícia, durante as marchas do décimo aniversário de um tiroteio policial que matou um adolescente.

Os manifestantes na cidade de Tessalónica, no norte da Grécia, montaram barricadas nas ruas e atiraram ‘cocktails’ Molotov contra a polícia, que respondeu com granadas de gás lacrimogéneo.

Atos de violência aconteceram igualmente em Atenas, onde dez pessoas foram detidas e a polícia atirou gás lacrimogéneo sobre grupos de jovens encapuzados que destruíram paragens de autocarros e atiraram pedras e outros objetos contra a polícia de choque.

Para a capital da Grécia, as autoridades mobilizaram hoje cerca de 2.500 agentes e um helicóptero, para controlar as várias marchas e comícios, enquanto a principal estação de metro na Praça Syntagma foi temporariamente fechada.

Mais manifestações estão marcadas para a noite de hoje em Atenas, para o exato local onde a polícia matou Alexandros Grigoropoulos, em 06 de dezembro de 2008.

Grigoropoulos tinha 15 anos quando foi morto a tiro durante uma saída com amigos na zona de Exarchia, onde muitos bares e restaurantes populares estão localizados.

O jovem foi morto quando um polícia disparou sobre ele, após uma cena de violência. Interrogado mais tarde, o agente policial disse que não tinha apontado para o jovem, mas que Alexandros acabou por ser morto por um ricochete de bala.

Nessa altura, a morte do adolescente desencadeou os mais extensos tumultos que a Grécia tinha visto em décadas.

O surto de violência, que durou duas semanas, espalhou-se por cidades de todo o país, com jovens a destruir e saquear lojas, a incendiar prédios e carros e a montar barricadas de fogo nas ruas.

O agente policial envolvido no caso, Epaminondas Korkoneas, foi condenado por assassínio e sentenciado a prisão perpétua.
O processo judicial está em fase de recurso.

Um segundo polícia presente no incidente foi condenado a 10 anos de prisão e está em liberdade condicional há vários anos.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »