Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Cerca de 100 mil pessoas esperadas na Cela para o 62º aniversário do MPLA

Em entrevista exclusiva a OPAÍS, a primeira secretária municipal do MPLA na Cela, Amélia Russo, revelou que cerca de 100 mil pessoas são esperadas na cidade do Waku-Kungo para o 62º aniversário do MPLA.

O acto central alusivo ao 62.º aniversário da fundação do MPLA terá lugar a oito de Dezembro próximo, na cidade do Waku-Kungo, capital do município da Cela, província do Cuanza-Sul. A primeira secretária municipal do MPLA no município da Cela, Amélia Russo, em entrevista exclusiva a OPAÍS, revelou que 100 mil pessoas são esperadas para o acto central do aniversário da fundação MPLA.

Amélia Russo garantiu que os preparativos estão em bom ritmo e está tudo a ser preparado para o acto central comemorativo da fundação do MPLA, que decorrerá a 8 de Dezembro no seu município. “Vamos albergar em todos os municípios da província do Cuanza-Sul. Pensamos ter nesse acto um número estimado em 100 mil pessoas e só o município anfitrião da Cela está comprometido com 60 mil militantes, simpatizantes e amigos do MPLA.

Todos virão para assistir a este acto de extrema importância”, disse. Segundo conta Amélia Russo, tudo está a ser preparado e os outros municípios já mandaram os seus representantes para ver os locais onde se vão hospedar. “Temos vários sítios já distribuídos e os próprios municípios vão colaborar e ajudar a preparar os locais. Temos apenas um problema, que é a chuva, porque nesse dia pode chover e muitos chegam na véspera, mas tudo está salvaguardado para que as pessoas não fiquem ao relento”, disse.

De acordo com a primeira secretaria do MPLA na Cela, 11 locais estão preparados para que as pessoas possam pernoitar e cada delegação vai trazer os seus produtos e montar a sua cozinha e o comité provincial vai ajudar para que tudo corra bem. “Todos os militantes, simpatizantes e amigos, estão ansiosos para assistir ao acto central que vai ser aqui no município no Waku-Kungo.

O povo sabe o que vai acontecer e aguarda com muita expectativa”, fez saber. Para o acto comemorativo está marcado um jogo de futebol de velhas guardas no campo do Clube Cultural Desportivo Recreativo da Cela, uma vez que o município em termos de futebol tem sido forte e, segundo a secretária, pretende-se massificar cada vez mais o desporto.

Além do futebol 11 também haverá outros programas e outros tipos de desporto, bem como a fogueira e o Natal Solidário para crianças mais desfavorecidas do município. “A nível do Comité Provincial da Cela nós sentimo-nos lisonjeados e satisfeitos por ter sido escolhido este município, porque os nossos militantes também merecem, uma vez que, sempre se deu cinco a zero aqui no município da Cela, província do Cuanza-Sul”, disse. Acrescentou que “seria um facto de reconhecimento de todo esse esforço a todas essas vitórias que temos vindo a ter.

Daí que todos os militantes sentem-se orgulhosos pelo facto de ser aqui o acto central, vai ser uma festa para todos nós”.

Munícipes expectantes com a festa

Alguns munícipes mostraram- se contentes pelo município ter sido escolhido para o acto central comemorativo do aniversário do MPLA, uma vez, que os mesmos afirmam estarem esquecidos, pelos vários problemas por que têm passado. Segundo Manuel Fonseca, falta muita coisa no município da Cela e o povo sofre calado, não têm onde se queixar, nem sequer um órgão de comunicação. “Aqui falta muita coisa e nós sofremos com isso. As pessoas apanham diarreia aguda por causa da água que se usa das cacimbas e nada se faz para acabar com esse problema”, conta.

Disse ainda que com a festa que se vai passar o município ficará mais conhecido e alguns empresários vão voltar a investir e os jovens terão trabalho. A energia aqui está a avançar e é notável. Sei que vai chegar até aos bairros. Quem também se mostrou contente foi Maria João, que espera ver mudanças com a chegada da comitiva do MPLA. “Sei que com essa festa no meu município muita coisa pode mudar. Nós temos uma terra que é favorável para a agropecuária, e se as pessoas investirem sairemos a ganhar todos. Sei que com essa festa muitos se vão interessar ainda mais.Estou expectante”, disse.

Sobre a cidade do Waku-Kungo, antiga Vila Santa Comba

Se recuarmos até aos tempos remotos, daremos conta de que o nome da região de Waku-Kungo passou por algumas variações históricas. Entre elas a denominada Waku, que nos deterá, por ser aí onde os colonialistas projectaram a construção da Vila de Santa Comba Dão A Cidade do Waku-Kungo, capital do município da Cela, província do Cuanza-Sul foi fundada em 1901 pelo comerciante Eduardo Melo de Sousa, que instalou a primeira casa comercial na então Cela-velha, actual sede da comuna de Kissanga-Kungu.

A antiga Vila de Santa Comba, ganhou a categoria de ” Vila emblemática” em 1926, em homenagem a António de Oliveira Salazar, por ser natural de Santa Comba Dão (Portugal), na altura Presidente do Conselho do Estado Novo de Portugal, cujo objectivo era valorizar a figura de Salazar.

Em 1974, depois do 25 de Abril, a cidade de Santa Comba passou a chamar-se Waku-Kungo, acontecimento dirigido pelo delegado do Governo de transição na Cela, Jeorge Pedro, em homenagem à montanha “Waku”adjacente à cidade e ao soba grande da região de nome “Kungu”. A concorrência de factores favoráveis como os recursos naturais levou o Estado português, então potência colonizadora, a reservar parte da região da Cela para a fixação de famílias portuguesas. A vila recebeu as primeiras 400 famílias em 1952 e até 1964 já estavam instaladas 2.164 pessoas.

Hoje a cidade do Waku-Kungo é uma das mais importantes da província e do país, dado o volume de investimentos que o Executivo tem direccionado para a região. Conta com seis bancos comerciais: BIC, BPC, BFA, SOL, Besa e Keve.

No capítulo hoteleiro e turístico tem cinco hotéis (Emirais, Ritz, Lubelíssima, Kimbo dos Sobas e WK Hotel e mais 20 unidades similares) e zonas turísticas como Lupupa, Morro Waku, morro do Monsanto e perímetro das fazendas médias. No capítulo institucional, a cidade do Waku-Kungo conta com diversos serviços afectos ao poder judicial e executivo, com destaque para os órgãos judiciais como Tribunal Municipal, Procuradoria, conservatória municipal e um centro nacional penitenciário para jovens menores de idade.

No concernente à educação a cidade é servida por escolas primárias e quatro do nível secundário, nomeadamente, PUNIV, Instituto Médio Agrário, de Saúde, e Magistério Primário. No sector agro-pecuário conta com dois grandes projectos, como a Sediac e a Aldeia Nova. Estão em curso na região vários projectos, como a distribuição de energia eléctrica e a construção da linha de transporte de energia da central hidroeléctrica de Laúca. A cidade do Waku-Kungo conta actualmente com mais de 570 mil habitantes.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »