Smiley face

Primeiro ano do doutoramento em Ciências Biomédicas foi um sucesso – Cedume

Angop

0 95

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

O 1º dos quatro anos do doutoramento em Ciências Biomédicas (DCB), implementado pela primeira vez no país, com início em Março e término em Novembro deste ano, foi um sucesso, porque 25 profissionais vão engajar-se na investigação de problemas de saúde mais preocupantes em Angola.

Em declarações hoje, domingo, à Angop, o director do Cedume (Centro de Educação Médica), Mário Fresta, disse que o doutoramento em Ciências Biomédicas, primeiro em saúde instalado no país, veio diferenciar cerca de 25 profissionais com vários anos de experiência na saúde, muitos com cargos de responsabilidade.

Com o doutoramento, frisou, esses profissionais estão a aperfeiçoar as suas capacidades como professores de medicina, por um lado, ao mesmo tempo que desenvolvem competências na investigação das doenças que o país enfrenta.

Como exemplo, apontou que, durante os três anos seguintes, os estudantes vão conhecer melhor e poder desenvolver diagnósticos, tratamentos e estratégias de combate mais eficazes à Malária, principal causa de doença e de morte em Angola e outros “síndromes febris”.

Outras doenças que merecerão a sua atenção são a Tuberculose, que precisa de mais recursos em todo o mundo, particularmente para combater a forma “multirresistente” que não responde aos medicamentos disponíveis, e a infecção por VIH/Sida.

Consta igualmente da lista de doenças que serão investigadas pelos doutorandos, a Lepra, as diarreias, as Hepatites, a Infertilidade, a Anemia de Células Falciformes, patologias da Tiróide, o ataque cardíaco, a Hipertensão Arterial, as Diabetes e muitas outras.

Segundo Mário Fresta, o estudo dessas doenças vai melhorar as decisões que o Governo pode tomar nessas matérias, a assistência que se presta nos hospitais, bem como a qualidade dos professores e da formação nos cursos de medicina, bem como nos Internatos de especialidades, onde se formam os médicos especialistas de que tanto o país necessita.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Translate »