Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Moçambique e São Tomé Príncipe perante SIDA

RFI

Moçambique regista um fraco progresso na prevenção e combate ao VIH SIDA, segundo disse no sábado Salmira Panguene. Neste dia mundial de luta contra a sida, 300 mulheres seropositivas marcharam em Maputo, para quebrar o silencio sobre o seu estado de saúde como forma de encorajar outras pessoas a aderirem ao tratamento e efectuarem o teste. Em São Tomé e Príncipe, o receio é que as ajudas externas para a luta contra a sida sejam drásticamente reduzidas.

Trezentas mulheres marcharam na capital moçambicana para quebrar o silêncio sobre o seu estado de saúde.

Laura Teresa é uma dessas mulheres, que contraiu a doença aos 12 anos de idade depois de ter sido violada sexualmente por quatro homens. Por isso de acordo com Salmira Panguene integrante do grupo de mulheres afectadas pela epidemia, o 1º de Dezembro, dia mundial de luta contra a SIDA é para elas, um momento de festa.

Um dia também em que a ministra moçambicana da Saúde Nazira Abdula, na província da Zambézia, admitiu que a prevenção e o combate a esta pandemia continuam a ser um desafio no país. Registando uma média de pouco mais de trezentas novas infecções por dia, 13,2 %, Moçambique está entre os 10 países com a maior taxa de seroprevalência no mundo.

São Tomé e Príncipe prevê atingir até 2030 uma taxa de cobertura de testagem e tratamento do VIH Sida em 99 por cento.

No dia em que se comemora a jornada mundial de combate a Sida, a taxa de seroprevalência mantêm-se em 0,5 por cento. Mas a redução da ajuda dos parceiros externos poderá comprometer o combate a doença em São Tomé e Príncipe.

O programa de combate a Sida beneficia do apoio do Fundo Global que registou uma redução significativa nos últimos anos segundo o seu coordenador, o médico Bonifácio Sousa .

Há 30 anos que o país vem desenvolvendo a sua politica de combate ao HIV-Sida, cuja taxa de seroprevalência situa-se actualmente em 0,5 por cento. Segundo sublinhou Bonifácio de Sousa,o fornecimento de anti-retrovirais, actualmente é gratuito,pode vir a estar comprometido, caso se acentue a escassez da ajuda segundo sublinhou Bonifácio Sousa.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »