- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Destaques Hospital Central do Huambo acomoda utentes junto à morgue e aterro sanitário

Hospital Central do Huambo acomoda utentes junto à morgue e aterro sanitário

Numa conferência de imprensa realizada ontem no Huambo, o secretário provincial do PRS no Huambo, António Soliya Selende, denunciou esta prática e acusa as autoridades sanitárias e governamentais de fazerem ouvidos de mercador.

“Os acompanhantes do doentes no hospital central no Huambo estão a ser maltratados, fazem refeições próximo à morgue e ao aterro sanitário, dormem nos eucaliptos justamente neste tempo chuvoso”, denunciou.

Segundo Selende, o que faz com que os familiares de doentes internados pernoitam naquela unidade hospitalar, é o facto de, frequentemente, o corpo clínico solicitar medicamentos, material de higiene, alimentação, vestuário e demais meios que os doentes necessitam e o hospital não possui”.

Verificamos que estes cozinham, comem e efectuam outras necessidades fisiológicas por baixo das árvores onde passam dias e noites, enquanto os seus familiares se encontram internados”, lamentou.

Hospital demarca-se

Recentemente, o director do Hospital central do Huambo, Jacinto dos Santos Guedes, disse que não é responsabilidade do hospital a acomodação de parentes dos doentes internados, que pernoitam ao relento na parte exterior do edifício, porque a missão primordial da instituição é cuidar os doentes, num ambiente de conforto e tranquilidade.

Desencorajou a presença dos mesmos nos arredores da unidade, pois o contacto permanente de alguém saudável com o ambiente hospitalar constitui um risco à saúde.

Disse, ainda, que a presença dos familiares cria, de certo modo, constrangimentos na gestão hospitalar e, ao mesmo tempo, na recuperação dos doentes, apelando, por isso, os mesmos a deixarem de passar as noites à volta do hospital.

“Sempre que um doente chega no hospital, acompanhado de um familiar, são feitos todos os diagnósticos e depois de interná-lo o familiar é dispensado e solicitado, apenas, quando a equipa médica achar conveniente, razão pela qual, são falsas as informações sobre as supostas faltas de condições por que passam os acompanhantes”, explicou.

O secretário provincial, denuncia ainda perseguição por parte de pessoas desconhecidas, por estar a defender o bem estar da população. (Portal de Angola/Angop)

por Osvaldo de Nascimento

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.