Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

David Mourão Ferreira no Camões

O CAMÕES/CENTRO CULTURAL PORTUGUÊS, no quadro do seu desígnio de promoção da língua portuguesa e de divulgação de autores de língua portuguesa, criou na sua BIBLIOTECA um Núcleo de Leitura, que revisita autores consagrados de língua portuguesa, através da leitura colectiva de extractos das respectivas obras e biografias.

Este Núcleo de Leitura, com momentos interactivos, conta com a participação activa de jovens, sobretudo, estudantes universitários e pré-universitários, utentes da Biblioteca. Em dois dias de cada mês, a obra e a biografia do autor escolhido são revisitadas e analisadas.

Na 11ª Edição/Outubro de 2018 do “Escritor do Mês na Biblioteca Camões”, nos dias 10 (2ª feira) e 19 de Dezembro (4ª feira), a partir das 10H00, será revisitada a obra do Escritor português, DAVID MOURÃO FERREIRA., considerado um clássico do modernismo no panorama literário português, pelo culto do lirismo neobarroco.

DAVID MOURÃO FERREIRA nasceu em 1927 em Lisboa. Licenciou-se em Filologia Românica na Faculdade Letras da Universidade de Lisboa, onde, mais tarde foi professor. Foi director dos Jornais “A Capital” e “O Dia”.

Foi Secretário de Estado da Cultura, entre 1976 e 1979. Foi crítico literário, ensaísta e tradutor de peças teatrais. Foi responsável por vários programas literários na radiotelevisão, como “Imagens da Poesia Europeia”. Colaborou em vários jornais e revistas, como Diário de Notícias, Diário Popular, Diário de Lisboa, Seara Nova, Colóquio Letras e Journal des Poètes, entre outros.

Participou na elaboração do Dicionário de Literaturas Portuguesa, Galega e Brasileira. Foi Director do Serviço e Bibliotecas Itinerantes da Fundação Calouste Gulbenkian. Deixou uma vasta obra publicada de poesia, prosa e ensaio. Recebeu vários prémios literários, designadamente Prémio da Crítica, em 1981, Prémio Delfim Guimarães, em 1954, Prémio Ricardo Malheiros, em 1960, Prémio de Teatro da Casa da Imprensa, em 1965, e Prémio Nacional de Poesia, em 1971. Faleceu em 1996.

(Nota enviada à nossa redacção com pedido de publicação)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »