- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Destaques Ucrânia exige que a Rússia devolva os navios detidos e pede ajuda...

Ucrânia exige que a Rússia devolva os navios detidos e pede ajuda militar aos seus aliados

O Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia divulgou uma nota nesta segunda-feira (26) exigindo que Moscovo devolva a Kiev os marinheiros detidos juntos com os navios apreendidos no domingo (25).

Antes, o Serviço Federal de Segurança da Rússia (FSB) informou que os navios Berdyansk, Nikopol e Yana Kapu, da Marinha da Ucrânia, foram detidos por violarem o espaço marítimo russo.

“A Ucrânia exige assistência médica urgente para os feridos e a garantia do seu retorno imediato e seguro para casa. A Ucrânia também exige que os navios apreendidos da Marinha retornem e que os danos causados sejam compensados”, disse o ministério através do comunicado.

Kiev também pediu aos seus aliados que forneçam assistência militar.

“A Ucrânia pede aos seus aliados e parceiros que tomem todas as medidas necessárias para dissuadir o agressor, aplicando novas sanções e fortalecendo as já existentes, assim como fornecendo à Ucrânia assistência militar para proteger a sua integridade territorial e soberania dentro das fronteiras internacionalmente reconhecidas”, acrescentou o comunicado.

Um porta-voz da Diretoria de Fronteiras do FSB para a Crimeia, Anton Lozovoy, disse que os navios apreendidos estavam a ser levados para o porto de Kerch e que três soldados ucranianos levemente feridos receberam assistência médica.

Os navios ucranianos que foram apreendidos não teriam respondido às exigências legais feitas pelos navios russos que os abordaram, além de terem realizado manobras perigosas, segundo o FSB. Também foi aberto um caso criminal para investigar a violação da fronteira do Estado da Rússia. (Sputnik)

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.