- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Economia País com défice de 340 mil toneladas de arroz/ano

País com défice de 340 mil toneladas de arroz/ano

O sector agrário angolano vai, já a partir do próximo ano, aumentar a produção de arroz de 60 mil para 100 mil toneladas/ano, de modo a reduzir a importação deste cereal, estimada em 400 mil toneladas/ano.

O objectivo, segundo o secretário de Estado da Agricultura para o sector empresarial, Carlos Alberto, é reduzir o défice de 340 mil toneladas/ano.

Carlos Alberto Jaime, que falava na cerimónia de lançamento do Portal do Produtor Nacional www.ppn.co.ao , referiu que quando o país atingir a auto-suficiência interna neste segmento serão criadas taxas de importação altas, para a proteger a produção nacional.

Ao contrário do arroz, em relação à criação de aves, informou que o mercado interno fornece actualmente 80 por cento das necessidades de ovos do país, estimadas em mais de mil milhões de ovos/ano.

Para cobrir integralmente as necessidades do mercado interno, referiu que o sector está a tentar aumentar a produção de milho e soja para que Angola tenha uma capacidade interna de produção de proteína animal.

“Há alguns produtos ligados à proteína animal, que são as carnes, por isso precisamos incentivar a produção interna de milho e soja, para assegurar a sua produção contínua”, disse.

O sector está a trabalhar na criação de condições para que haja uma auto-suficiência na produção de hortícolas.

O portal lançado hoje, em Luanda, com endereço www.ppn.co.ao, foi desenvolvido por técnicos angolanos e poderá a partir de agora ser utilizado por todos os produtores, independentemente do tamanho da sua produção, localização e sem qualquer custo.

A plataforma informática surge como um meio mais acessível de comunicação para o mercado da produção feita em Angola, disponível para comercialização. (Angop)

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.