- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Angola Regiões Construção de passeios marca retorno da requalificação da zona verde do Alvalade

Construção de passeios marca retorno da requalificação da zona verde do Alvalade

A terceira e quarta fase das obras de requalificação da zona verde do Alvalade, distrito urbano da Maianga, município de Luanda, teve início em Outubro com a construção de passeios e arruamentos, uma empreitada sob a responsabilidade da empresa angolana Plaurbe.

A primeira e segunda fase da requalificação estão concluídas desde o primeiro trimestre de 2017, estando em curso o apetrechamento do local.

A Angop constatou no local, que parte do sistema de drenagem de águas residuais já foi desassoreada, para evitar constrangimentos provocados pela água da chuva.

Na empreitada, que se prevê concluída no primeiro trimestre de 2019, consta a requalificação de toda rede de drenagem domiciliar, fluviométricas, infra-estruturas de recolha e evacuação de resíduos.

Quando estiverem concluídas as obras, a zona verde do bairro Alvalade vai contar com quadra polidesportiva, lago artificial, centro infantil e zona de restauração.

A zona verde do Alvalade encontra-se abandonada há muito tempo e a sua recuperação, de acordo com alguns moradores dos arredores, além de servir a comunidade, vai contribuir na melhoria da imagem do bairro.

O cidadão yuri Neto, morador dos arredores, lamentou o facto da zona verde permanecer fechada tanto tempo, com obras feitas por etapas. “ A requalificação do jardim devia ter sido feita quando iniciou o projecto vias de Luanda para ser mais célere”.

O munícipe espera que, a semelhança da Baia de Luanda, a zona verde do Alvalade tenha Play ground, zona de restauração, ciclovia, campos polidesportivos, bancos para repouso, entre outras zonas de lazer.

A estudante Marina de Almeida recordou que os moradores do bairro Alvalade têm que se deslocar até a Avenida Deolinda Rodrigues/Largo da Independência ou a Baia de Luanda para caminhar.

Segundo a estudante, o Alvalade não possui zonas de lazer como sala de teatro ou cinema, então a abertura da zona verde vai ser uma mais-valia para os moradores, principalmente crianças e jovens.

Já a pedagoga Andreza Neto afirma que os espaços verdes são locais importantes para as crianças pois garante um melhor desempenho estudantil, maior socialização assim como exercita a mente e o corpo.

A psicóloga clínica Domingas Miapia afirma ser vantajoso ter espaços verdes em zonas habitacionais por ser uma das principais formas para combater o aquecimento global, para além disso alivia o estresse, a depressão, os sintomas ansiosos e o sedentarismo.

A zona verde do Alvalade, segundo a psicóloga, garante um meio ambiente puro, e ecológico que proporciona vida saudável aos moradores, livre de pressões angustiantes e melhora a saúde física e mental.

“ Uma zona verde também tem a capacidade de eliminar o desconforto, o cansaço e trazer o bom humor, estabelece-se também nestes espaços as relações sociais. Neste contexto é importante para o lazer dos moradores e não só, é bom para meditar, proporciona sensação de paz, amor ao próximo”, esclareceu.

Segundo a psicóloga clínica nestes espaços verde as pessoas que praticam exercícios físicos, tem o aumento da endorfina, que é o harmónio do bem-estar, mantêm o controlo do apetite e proporciona a elevação do auto estima.

O projecto, na altura orçado em mais de dois milhões de kwanzas, com 16 meses de execução, dividido em três fases, previa a construção de parque infantil, campo polivalente, restaurantes, ginásio, lago, espaço com assentos para lanches, balneários públicos, passagens para pedestres e ciclistas, e estacionamento para cerca de 450 viaturas.

O projecto de requalificação para a melhoria de imagem e o repovoamento da zona verde do Alvalade prevê a construção de dois parques infantis, igual número de balneários e a manutenção das duas quadras polidesportivas já existentes, para a prática de andebol e basquetebol.

Consta também do projecto, uma iniciativa da Comissão Administrativa de Luanda, a reabilitação dos arruamentos, passeios e jardins, para que a área de lazer volte a servir os habitantes da capital.

Fonte da Comissão administrativa da cidade de Luanda firmou, na altura, que as obras na zona verde do Alvalade, que se encontra encerrada há mais de 15 anos, nunca estiveram paradas.

Os trabalhos de requalificação para a melhoria de imagem e o repovoamento da zona verde do Alvalade, foram lançados em Fevereiro de 2013, tendo na altura começado com a limpeza do espaço e remoção de árvores já sem vida útil.

A primeira tentativa para implementação das obras de requalificação aconteceu em 2008, mas sem êxito. (Sapo 24)

por Lusa

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.