Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Ministério da Saúde considera ilegal greve dos médicos e promete responsabilizar profissionais que aderirem

O Ministério da Saúde (MINSA) vai recorrer à justiça para decretar a ilicitude da greve dos médicos, sob a alegação de que a mesma foi convocada por um Sindicato ainda por legalizar, prometendo ainda sancionar os profissionais que aderirem ao protesto, iniciado esta segunda-feira, 19.

Através de um comunicado, o MINSA “considera haver indícios de ilicitude de greve, por ter sido convocada por uma entidade sem competência nos termos da legislação em vigor”, sustentando que o Sindicato Nacional dos Médicos de Angola (SINMEA) ainda se encontra em fase de constituição.

Perante esses indícios, o Ministério adianta que vai “intentar uma acção para o decretamento da ilicitude da greve” junto do tribunal.

Para além disso, a instituição tutelada por Sílvia Lutucuta promete “responsabilizar disciplinarmente todos os profissionais que aderirem” ao protesto.

Na mesma nota, o MINSA salvaguarda o “respeito do direito à greve por parte dos trabalhadores do sector, desde que se respeitam os marcos da legislação em vigor sobre a matéria”.

A greve dos médicos começou nesta segunda-feira, 19, em todo o país, prolongando-se até à próxima quarta-feira, 21.

Na base do protesto estão, entre outras reivindicações, a exigência de melhores condições salariais e de trabalho, de atribuição de subsídios de isolamento e de integração dos 3.500 médicos que se encontram desempregados, conforme explicou ao NJOnline o presidente do Sindicato Nacional dos Médicos de Angola, Adriano Manuel. (Novo Jornal Online)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »