Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Palancas enfrentam hoje Etalons inspirados no futebol com muletas

O médio Ary Papel é o exemplo claro dos níveis de crença e motivação que domina o balneário da Selecção Nacional, antes do jogo frente ao Burkina Faso, amanhã, às 16h00, no estádio 11 de Novembro.

Neste regresso à selecção, o jogador assegura estar satisfeito com o ambiente que se gerou em torno do grupo e faz questão de antever um desfecho positivo para o conjunto nacional no embate de amanhã, decisivo para as aspirações de Angola ao CAN de 2019.”O Burkina Faso é um adversário muito forte, que conhece bem esta competição, mas acredito que vamos levar os três pontos. A concorrência na selecção não é o mais importante, porque acredito que todos que estão aqui devem procurar dar o seu máximo para ajudar nos objectivos”, afirmou Ary Papel.

O médio ofensivo dos Palancas manifestou, por outro lado, desejo de fazer parte do “onze” de Srdjan Vasiljevic, mas confessa não estar obcecado pela titularidade, pois considera mais importante a vitória da selecção, independentemente de quem seja titular.

“Temos de lutar todos pelos mesmos objectivos. Quem estiver no banco e merecer uma oportunidade para entrar deve dar o seu máximo também. O mais importante é a selecção vencer o jogo. Vamos jogar com alegria e ajudar os colegas a vencer este jogo”, afiançou o jogador, que se mostrou também satisfeito com o regresso aos convocados.

“Quem trabalha e é chamado a selecção só deve ficar satisfeito. Não é a primeira vez que estou na selecção, mas estou muito satisfeito por este regresso à equipa nacional”.

VASILJEVIC ANTEVÊ O JOGO
“Temos que deixar tudo em campo”

O seleccionador Srdjan Vasiljevic avançou ontem, em declarações aos jornalistas, a receita para vencer o jogo de amanhã, frente ao Burkina faso, agendado para as 16h00, no estádio 11 de Novembro, válido para a penúltima jornada do grupo I das eliminatórias de qualificação à fase final da Taça das Nações (CAN) de 2019, nos Camarões.

O “pastor” dos Palancas garantiu que o segredo de um eventual triunfo sobre os Cavalos burkinabes passará, irremediavelmente, pelos jogadores darem o seu máximo, deixarem tudo em campo, nem que para tal seja preciso comer o relvado.
“Espero que os jogadores venham a satisfazer todas as nossas ambições neste jogo contra o Burkina Faso. As estatísticas apontam para um favoritismo do nosso adversário, mas no campo as coisas são totalmente diferente, porque o futebol é uma coisa viva e enérgica. Temos ambição e tudo dependerá também do momento de inspiração dos nossos jogadores. Temos que dar o nosso máximo, deixar tudo em campo, jogar com o nosso coração, cabeça e inteligência, para alcançarmos a vitória”, disse o treinador sérvio.

Srdjan Vasiljevic lamentou o facto de não poder contar com o lateral Mira, em virtude deter sofrido uma lesão no joelho esquerdo, mas mostrou-se satisfeito pela enorme disponibilidade de Isaac, outro lateral convocado para colmatar a ausência do atleta do Petro.

Por outro lado, o selecinador enalteceu a integração de Wilson Eduardo, do Sporting de Braga, tendo sublinhado ser “um potencial de qualidade”, que joga há muitos anos na Europa e que “pode acrescentar muito de novo ao futebol da selecção.

“O Wilson demonstrou ambição em jogar na selecção de Angola e merece o nosso respeito. É salutar quando temos um jogador a fazer parte da equipa nacional. Tínhamos falado antes com o Wilson, mas só agora começamos a solucionar os documentos. Não sou um administrativo, não trabalho com papeis e não sei se vamos a tempo de utilizá-lo neste jogo”, acrescentou o técnico, fazendo referência a probabilidade de Wilson Eduardo não ser utilizado, por questões administrativas.

Srdjan Vasiljevic recusou avançar prognósticos sobre o desfecho do embate com o Burkina Faso, pois considera que quando assumiu a selecção definiu como responsabilidade trabalhar o máximo possível, com profissionalismo e a obrigação de perante o povo angolano desenvolver um trabalho agradável.

ONZE PROVÁVEL

Angola pode alinhar com o seguinte “onze”: Toni Cabaça; Isaac, Tó Carneiro, Bastos e Massunguna; Show, Herenilson, Djalma, Fredy e Mateus Galiano; Ary Papel e Gelson Dala.

O seleccionador Srdjan Vasiljevic tem igualmente à disposição os seguintes jogadores: Ndulu, Landu (guarda-redes), Vá, Wilson Gaspar, Massunguna, Paizo, Buá, Mingo Bille, Geraldo, Mabululu, Buatu, Stélvio Cruz e Wilson Eduardo. (Jornal dos Desportos)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »