Smiley face

Palancas enfrentam hoje Etalons inspirados no futebol com muletas

0 39

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

O médio Ary Papel é o exemplo claro dos níveis de crença e motivação que domina o balneário da Selecção Nacional, antes do jogo frente ao Burkina Faso, amanhã, às 16h00, no estádio 11 de Novembro.

Neste regresso à selecção, o jogador assegura estar satisfeito com o ambiente que se gerou em torno do grupo e faz questão de antever um desfecho positivo para o conjunto nacional no embate de amanhã, decisivo para as aspirações de Angola ao CAN de 2019.”O Burkina Faso é um adversário muito forte, que conhece bem esta competição, mas acredito que vamos levar os três pontos. A concorrência na selecção não é o mais importante, porque acredito que todos que estão aqui devem procurar dar o seu máximo para ajudar nos objectivos”, afirmou Ary Papel.

O médio ofensivo dos Palancas manifestou, por outro lado, desejo de fazer parte do “onze” de Srdjan Vasiljevic, mas confessa não estar obcecado pela titularidade, pois considera mais importante a vitória da selecção, independentemente de quem seja titular.

“Temos de lutar todos pelos mesmos objectivos. Quem estiver no banco e merecer uma oportunidade para entrar deve dar o seu máximo também. O mais importante é a selecção vencer o jogo. Vamos jogar com alegria e ajudar os colegas a vencer este jogo”, afiançou o jogador, que se mostrou também satisfeito com o regresso aos convocados.

“Quem trabalha e é chamado a selecção só deve ficar satisfeito. Não é a primeira vez que estou na selecção, mas estou muito satisfeito por este regresso à equipa nacional”.

VASILJEVIC ANTEVÊ O JOGO
“Temos que deixar tudo em campo”

O seleccionador Srdjan Vasiljevic avançou ontem, em declarações aos jornalistas, a receita para vencer o jogo de amanhã, frente ao Burkina faso, agendado para as 16h00, no estádio 11 de Novembro, válido para a penúltima jornada do grupo I das eliminatórias de qualificação à fase final da Taça das Nações (CAN) de 2019, nos Camarões.

O “pastor” dos Palancas garantiu que o segredo de um eventual triunfo sobre os Cavalos burkinabes passará, irremediavelmente, pelos jogadores darem o seu máximo, deixarem tudo em campo, nem que para tal seja preciso comer o relvado.
“Espero que os jogadores venham a satisfazer todas as nossas ambições neste jogo contra o Burkina Faso. As estatísticas apontam para um favoritismo do nosso adversário, mas no campo as coisas são totalmente diferente, porque o futebol é uma coisa viva e enérgica. Temos ambição e tudo dependerá também do momento de inspiração dos nossos jogadores. Temos que dar o nosso máximo, deixar tudo em campo, jogar com o nosso coração, cabeça e inteligência, para alcançarmos a vitória”, disse o treinador sérvio.

Srdjan Vasiljevic lamentou o facto de não poder contar com o lateral Mira, em virtude deter sofrido uma lesão no joelho esquerdo, mas mostrou-se satisfeito pela enorme disponibilidade de Isaac, outro lateral convocado para colmatar a ausência do atleta do Petro.

Por outro lado, o selecinador enalteceu a integração de Wilson Eduardo, do Sporting de Braga, tendo sublinhado ser “um potencial de qualidade”, que joga há muitos anos na Europa e que “pode acrescentar muito de novo ao futebol da selecção.

“O Wilson demonstrou ambição em jogar na selecção de Angola e merece o nosso respeito. É salutar quando temos um jogador a fazer parte da equipa nacional. Tínhamos falado antes com o Wilson, mas só agora começamos a solucionar os documentos. Não sou um administrativo, não trabalho com papeis e não sei se vamos a tempo de utilizá-lo neste jogo”, acrescentou o técnico, fazendo referência a probabilidade de Wilson Eduardo não ser utilizado, por questões administrativas.

Srdjan Vasiljevic recusou avançar prognósticos sobre o desfecho do embate com o Burkina Faso, pois considera que quando assumiu a selecção definiu como responsabilidade trabalhar o máximo possível, com profissionalismo e a obrigação de perante o povo angolano desenvolver um trabalho agradável.

ONZE PROVÁVEL

Angola pode alinhar com o seguinte “onze”: Toni Cabaça; Isaac, Tó Carneiro, Bastos e Massunguna; Show, Herenilson, Djalma, Fredy e Mateus Galiano; Ary Papel e Gelson Dala.

O seleccionador Srdjan Vasiljevic tem igualmente à disposição os seguintes jogadores: Ndulu, Landu (guarda-redes), Vá, Wilson Gaspar, Massunguna, Paizo, Buá, Mingo Bille, Geraldo, Mabululu, Buatu, Stélvio Cruz e Wilson Eduardo. (Jornal dos Desportos)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Translate »