Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Inspecção Geral do Trabalho dirimiu 14 mil conflitos laborais

Pelo menos 17.000 processos relacionados com conflitos laborais, deram entrada na Inspecção Geral do Trabalho e destes, 14 mil foram resolvidos com sucesso, revelou em Malanje, o ministro da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social.

Jesus Maiato disse que a acção exercida pela Inspecção Geral do Trabalho permitiu que o Tribunal do Trabalho e o Ministério Público passassem só a dirimir processos que não chegavam a consenso entre as partes. Segundo o titular do MAPTSS, com a entrada em vigor da nova Lei Geral do Trabalho, a Inspecção Geral do Trabalho passou a ter um papel de realce na mediação de conflitos laborais.

A maior parte dos casos resolvidos pela IGT tem a ver com os conflitos laborais, nomeadamente, despedimentos sem o cumprimento dos procedimentos legais, casos de atrasos de salários, falta de pagamentos de subsídios de férias, de Natal e processos disciplinares mal elaborados. Cabe à IGT remeter à Sala de Trabalho do Tribunal competente, os processos relativos às transgressões ou contravenções às normas laborais e verificar a regularidade do processamento dos descontos para a Segurança Social e do pagamento das respectivas contribuições.

Até ao final do ano, a Inspecção-Geral do Trabalho prevê efectuar visitas a 6.800 empresas em todo o país, e de acordo com o ministro, as empresas que lhes forem detectadas infracções vão ser submetidas a acções coercivas pelo Tribunal do Trabalho ou o Ministério Público.

De acordo com o ministro, os novos métodos de actuação da IGT incidem, numa primeira fase, na sensibilização das empresas, e aquelas que apresentam infracções são admoestadas com duas chamadas de atenção e depois passam a ser mimoseadas com multas de acordo com a lei.

Com autonomia administrativa, a IGT assegura a aplicação e a observância da legislação laboral. (Jornal de Angola)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »