- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo Médio Oriente Comissão dos Direitos Humanos da ONU pede ao Irão fim de detenções...

Comissão dos Direitos Humanos da ONU pede ao Irão fim de detenções arbitrárias

A ONU pediu ao Irão que ponha fim às detenções arbitrárias e expressaram preocupação em relação à “aplicação alarmante” da pena de morte por Teerão.

A assembleia-geral da Comissão da ONU para os Direitos Humanos aprovou também, na quinta-feira, uma resolução, com 85 votos a favor, 30 contra e 68 abstenções, na qual “exortou veementemente” o Irão a eliminar a discriminação contra as mulheres na lei.

Os 85 países que votaram a favor manifestaram uma “séria preocupação com as severas limitações e restrições ao direito à liberdade de pensamento, religião ou crença”.

O Irão, de acordo com a resolução da Comissão dos Direitos Humanos, deve pôr fim às “restrições generalizadas e sérias”, incluindo a liberdade de reunião de opositores políticos, defensores dos direitos humanos, líderes trabalhistas, ambientalistas, académicos, cineastas, jornalistas, entre outros.

Embora a resolução saúde a eliminação da pena de morte para alguns delitos relacionados com drogas, expressou “grande preocupação” com a “alarmante frequência” do uso da pena de morte no Irão, mesmo em casos que envolvem menores.

O vice-embaixador iraniano na ONU, Eshagh al-Habi, desvalorizou a resolução, que apelidou de “charada política”.

“Semelhante a qualquer outro país, deficiências podem existir e estamos determinados a resolvê-las”, disse Eshagh al-Habi, “no entanto, aqueles que tradicionalmente e historicamente apoiaram o colonialismo, a escravatura, o racismo e o apartheid não podem ensinar os direitos humanos aos iranianos”.

O embaixador saudita, Abdallah al-Mouallimi, rival regional do Irão, denunciou que Teerão “abriga terroristas”.

“O povo iraniano continua a sofrer sob um regime que não respeita os direitos humanos, nega as liberdades, persegue as minorias religiosas e raciais”, disse o embaixador saudita. (Diário de Notícias)

por Lusa

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.