InicioAngolaSociedadeEx-director do SIC na Huíla conhece sentença na quinta-feira

Ex-director do SIC na Huíla conhece sentença na quinta-feira

A sentença do caso de desvio de gasóleo, em que é acusado o ex-director provincial do Serviço de Investigação Criminal (SIC), Amadeu Suana, será ditada na próxima quinta-feira, pelo Tribunal Provincial da Huíla.

As quatro audiências de julgamento decorreram de 15 a 18 de Outubro último, presididas pelo juiz Marcelino Ntyamba no auditório do Instituto Superior Politécnico Gregório Semedo.

O referido auditório irá albergar a sessão de divulgação da sentença do caso de 14 mil litros de gasóleo, parte dos 35 mil litros que continha a cisterna devidamente selada, apreendida no dia 11 de Dezembro de 2016, pelos agentes do SIC no município da Chibia, na localidade do Chaungo.

O produto com origem na Sonangol Distribuidora destinava-se à Empresa Pública de Produção de Electricidade (PRODEL) e estava em posse de um cidadão nacional, motorista da empresa AD-Transportes, que a altura dos factos já havia comercializado, 21 mil litros, à empresa de exploração de inertes GALIANGOL, ao preço de 80 kwanza/litro, ao contrário dos 135 kwanza oficiais.

Segundo o despacho de pronúncia, o Ministério Público (MP) na província da Huíla concluiu o envolvimento do réu no caso, mas solicitou ao Tribunal Provincial da Huíla para ter em conta o facto deste ser maior de 60 anos e não possuir antecedentes criminais.

No mesmo processo, vão também ser lidas as sentenças de outros quatro cidadãos por supostos envolvimento na compra ilícita de 89 mil litros de gasóleo, com preços que variavam de 80 a 100 kz por litro, causando prejuízos ao Estado de 14 milhões 175 mil kz.

Trata-se de Francisco Gil Baptista Alves, proprietário da firma Empreendimentos AG- Gil Alves, Américo Tomás Manuel Nobre, Arão Manino Elias e Gizela dos Santos França, que à data dos factos eram trabalhadores das bombas de combustível “P.A Tchimucua”, também designadas “Dubai”, desempenhando as funções de responsáveis.

O combustível em causa consta dos quatro milhões e 95 mil litros de gasóleo, correspondente a 117 camiões de cisterna com capacidade para 35 mil litros cada, desviados no período de Novembro de 2016 a Janeiro de 2017, que causaram ao Estado angolano um prejuízo avaliado em 552 milhões e 825 mil kwanzas.

Neste contexto, o Tribunal Provincial da Huíla julgou e condenou em Março último, na primeira fase, 29 arguidos, a pena de prisão maior de dois a 12 anos, entre os quais o antigo director-adjunto do SIC, Abel Wayaha. (Angop)

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.