- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo África Ministro sul-africano pede demissão devido a escândalo de vídeo sexual

Ministro sul-africano pede demissão devido a escândalo de vídeo sexual

O ministro do Interior da África do Sul, Malusi Gigaba, que foi alvo de tentativas de extorsão, após o roubo de um vídeo de caráter sexual sobre ele, pediu demissão das suas funções, anunciou hoje a presidência.

Em comunicado, o chefe de Estado sul-africano, Cyril Ramaphosa, indicou que recebeu a carta de demissão de Malusi Gigaba, um aliado próximo do ex-Presidente Jacob Zuma, e aceitou-a.

Nessa carta, o ministro do Interior justificou a sua saída em nome do “interesse nacional” e do partido, e para “aliviar o Presidente de pressões desnecessárias”.

Malusi Gigaba foi implicado em outubro, pela provedora de justiça, Busisiwe Mkhwebane, que recomendou ao chefe de Estado que tomasse sanções contra o ministro “por mentir sob juramento perante um tribunal”.

Busisiwe Mkhwebane referia-se ao testemunho que Malusi Gigaba deu num processo em 2017, envolvendo a família Oppenheimer.

Malusi Gigaba, que foi ministro das Finanças de março de 2017 a fevereiro de 2018, data em que assumiu a pasta do Interior, admitiu no final de outubro, que em 2017, foi alvo de tentativa de extorsão, após o roubo de um vídeo de carácter sexual sobre ele, depois de uma invasão ao seu telefone.

O vídeo estava disponível no site de partilha de vídeos pornográficos do PornHub.

Malusi Gigaba exclui a renúncia no início de novembro, referindo que o caso foi relatado à polícia e aos serviços de informação e salientando que “sempre se recusou a considerar” ceder à chantagem. (Notícias ao Minuto)

por Lusa

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.