Ensa
Portal de Angola
Informação ao minuto

Ministro sul-africano pede demissão devido a escândalo de vídeo sexual

Finance Minister Malusi Gigaba delivers his budget address at Parliament in Cape Town, South Africa February 21, 2018. REUTERS/Mike Hutchings - RC1701719100

O ministro do Interior da África do Sul, Malusi Gigaba, que foi alvo de tentativas de extorsão, após o roubo de um vídeo de caráter sexual sobre ele, pediu demissão das suas funções, anunciou hoje a presidência.

Em comunicado, o chefe de Estado sul-africano, Cyril Ramaphosa, indicou que recebeu a carta de demissão de Malusi Gigaba, um aliado próximo do ex-Presidente Jacob Zuma, e aceitou-a.

Nessa carta, o ministro do Interior justificou a sua saída em nome do “interesse nacional” e do partido, e para “aliviar o Presidente de pressões desnecessárias”.

Malusi Gigaba foi implicado em outubro, pela provedora de justiça, Busisiwe Mkhwebane, que recomendou ao chefe de Estado que tomasse sanções contra o ministro “por mentir sob juramento perante um tribunal”.

Busisiwe Mkhwebane referia-se ao testemunho que Malusi Gigaba deu num processo em 2017, envolvendo a família Oppenheimer.

Malusi Gigaba, que foi ministro das Finanças de março de 2017 a fevereiro de 2018, data em que assumiu a pasta do Interior, admitiu no final de outubro, que em 2017, foi alvo de tentativa de extorsão, após o roubo de um vídeo de carácter sexual sobre ele, depois de uma invasão ao seu telefone.

O vídeo estava disponível no site de partilha de vídeos pornográficos do PornHub.

Malusi Gigaba exclui a renúncia no início de novembro, referindo que o caso foi relatado à polícia e aos serviços de informação e salientando que “sempre se recusou a considerar” ceder à chantagem. (Notícias ao Minuto)

por Lusa

Também pode gostar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »