Smiley face

País registou nos últimos nove meses quase 1.800 mortes nas estradas

0 43

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Angola registou, nos últimos nove meses, 1.776 mortos e 8.484 feridos num total de 8.301 acidentes de viação, números considerados preocupantes, indicou hoje a Direção Nacional de Viação e Trânsito angolana.

Os dados foram avançados pelo segundo chefe do departamento de prevenção rodoviária da Direção Nacional de Viação e Trânsito, superintendente-chefe António Pinduka, que falava no âmbito do Dia Mundial em Memória às Vítimas da Estrada, celebrado no terceiro domingo de novembro do ano.

Segundo o responsável, esta semana a Polícia vai proceder a várias ações de prevenção em estradas e instituições públicas e privadas, sobre a necessidade de maiores cuidados na condução.

Estas ações, reforçou o responsável, visam “reduzir os números, que, na verdade, continuam ainda altos, embora com alguma diferença comparativamente com os últimos anos”, lembrando que os acidentes de viação continuam a ser a segunda causa de morte em Angola, apenas superada pela malária.

“É nessa perspetiva que vamos realizar uma semana de prevenção, que vai culminar na sexta-feira com a abertura da ‘feira de acidentes’ em Luanda”, indicou.

António Pinduka disse que ações idênticas vão estender-se ao resto do país, nomeadamente nas áreas da prevenção, feiras e marchas para assinalar a data.

O excesso de velocidade, a condução sob efeito do álcool, o uso de telefone durante a condução e o desrespeito da sinalização constituem as principais causas dos acidentes rodoviários em Angola, segundo António Pinduka.

No domingo, está prevista a realização de uma marcha em alusão à data, promovida pela Direção Nacional de Viação e Trânsito, em colaboração com a sociedade civil.

Este fim de semana, pelo menos quatro pessoas morreram e 10 ficaram feridas em consequência de 12 acidentes de viação registados em Luanda. (Notícias ao Minuto)

por Lusa

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Translate »