Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Acto sublime ‘convoca’ atenção nacional

Condecorados e familiares de homenageados por patriotismo neste sábado por ocasião do 43º aniversário da Independência Nacional pelo Presidente da República, João Lourenço, valorizaram o gesto por superar diferenças ideológicas e congregar angolanos.

O Chefe de Estado distinguiu várias personalidades civis e militares, algumas a título póstumo, pelo contributo à Independência Nacional, desenvolvimento e bom nome da Nação, avança a Angop.

Dinho Chingunji, neto de Eduardo Jonatão Chinguinji, nacionalista e um dos fundadores da UNITA, contou que inicialmente pensou que “fosse uma piada na internet”.

Para si, antes tarde que nunca e que o gesto reforça o processo de reconciliação nacional.

Por seu turno, o bispo tocoísta, Dom Afonso Nunes, agradeceu o reconhecimento do seu patrono, Simão Gonçalves Toco, como um dos combatentes pela emancipação e libertação dos angolanos do jugo colonial.

Para o religioso, o acto reforça a contribuição para o desenvolvimento e paz social, referindo que é uma honra igualmente aos tocoístas queimados vivos, desterrados e desaparecidos por acreditarem nos ideais da liberdade e da independência, proclamada a 11 de Novembro de 1975.

Já o músico Barceló de Carvalho “Bonga” considerou que é um grande acontecimento e que a medalha passará a ser o símbolo mais importante da sua casa.

Disse que são sinais de abertura do Presidente João Lourenço e indicam que “doa a quem doer as coisas devem mudar pelo bem-estar do povo”.

O cónego Apolónio Graciano, que recebeu a condecoração em nome do cónego Manuel das Neves, a quem se atribui a liderança das manifestações de 1961 que marcaram o início da luta armada de libertação nacional, valorizou o gesto.

Sublinhou que o religioso Manuel das Neves, destemidamente, para além da sua fé, soube interiorizar o sofrimento do povo e empenhou-se para a libertação e independência.

O investigador científico Ricardo Augusto Figueiredo disse que o acto mostra que Angola está no caminho certo e completa o reconhecimento que vem ocorrendo em países como os Estados Unidos da América.

Prometeu para 2019 novidades, numa colaboração com o canal televisivo de investigação National Geographic.

O Presidente João Lourenço disse que, entre os contemplados, fazem parte pessoas de diferentes extractos da sociedade, que têm em comum o facto de serem humildes, sacrificados, que se despiram do egoísmo e da vaidade, pelos nobres ideais da Nação.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »