Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Uso de receitas de gás para pagar dívidas é hipotecar o bem-estar dos moçambicanos, diz o CIP

“O governo prefere continuar a sacrificar o país sem que os moçambicanos vejam os benefícios das dívidas e dos recursos que serão hipotecados,” denuncia o CIP.

O Centro de Integridade Pública (CIP) não concorda com a proposta do governo moçambicano de usar as receitas de gás para pagar as dívidas ocultas e pede ao Parlamento para rejeitar.

O ministério moçambicano das Finanças e Economia anunciou, esta semana, um acordo de princípio que prevê a troca dos actuais títulos por uma nova emissão de dívida soberana, no valor de 900 milhões de dólares, e por um instrumento de valorização, que na prática dá 5% das receitas fiscais provenientes do gás natural nas áreas 1 e 4, até ao limite de 500 milhões de dólares.

Este pagamento é relativo à divida da Empresa Moçambicana de Atum (Ematum), que foi de 726 milhões de dólares. Não foi vista referência aos valores da MAM e Proindicus, que combinados ultrapassam um milhão de dólares.

Analisado o cenário, o CIP diz que “o governo prefere continuar a sacrificar o país sem que os moçambicanos vejam os benefícios das dívidas e dos recursos que serão hipotecados”.

Para esta organização, o Parlamento deverá rejeitar a proposta de reestruturação, por comprometer “o bem-estar de uma geração inteira”, devendo procurar “outras alternativas para restabelecer a confiança do país a nível da comunidade internacional”.

Após a descoberta das dívidas, em 2016, o Fundo Monetário Internacional e outros parceiros de Moçambique cortaram o apoio ao Orçamento de Estado.

As dívidas em referência foram contraídas sem aprovação do Parlamento e o uso do valor foi questionado por organizações da sociedade civil, que continuam a pedir a responsabilização dos envolvidos no processo. (VOA)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »