Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Cinco países diferentes convocam Zuckerberg para uma audição sobre os problemas do Facebook

Políticos de cinco países diferentes exigem que o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, apareça dia 27 de Novembro para uma audição. Políticos de diversos países querem que o chefe do Facebook responda a diversas questões referentes à rede social.

Os países até agora representados nesta exigência incluem Austrália, Argentina, Irlanda, Canadá e Reino Unido. Esta “coligação” é liderada por Damian Collins, presidente da Comissão para o Digital, Cultura, Média e Desporto do Reino Unido. Zuckerberg rejeitou um primeiro convite, que agora é reforçado com o apoio de políticos de todo o mundo.

“Estamos muitos desapontados com esta resposta negativa. Como pode ver pela lista de assinantes desta carta, um “grande comité” em desinformação e ‘noticias falsas’ está a crescer”, pode-se ler na carta agora enviada por este grupo de políticos. “Cinco parlamentos estão agora a pedir para que vocês tome a decisão correcta para os 170 milhões de utilizadores nos países que eles representam.”

Há dúvidas em relação à capacidade de Zuckerberg de corrigir os problemas

Zuckerberg anunciou publicamente este ano que tomava pessoalmente a missão de “corrigir” os problemas do Facebook que permitem interferências nos processos democráticos dos países. No entanto, Collins coloca em causa a capacidade do CEO do Facebook em levar a cabo a missão. Refere que o facto de o chefe do Facebook rejeitar “enfrentar questões” levanta “dúvidas” em relação à sua capacidade de resolver os problemas da sua plataforma.

A justificação do Facebook

O Facebook rejeitou o convite alegando que funcionários altos da empresa já teriam aparecido perante as comissões do Reino Unido e do Canadá. “Continuamos a reconhecer integralmente a seriedades destas questões e continuamos comprometidos em trabalhar convosco para fornecer qualquer informação adicional que peçam para os vossos inquéritos,” referiu o Facebook na sua resposta público.

Recorde-se que Zuckerberg só apareceu perante o congresso dos Estados Unidos da América e o parlamento da União Europeia, rejeitando todos os outros convites. (Maistecnologia)

por CNET

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »